Campinas, SP… [ASN] – Na noite de sábado, 28 de janeiro, um grupo de cinco jovens adventistas foi até a porta de um cinema em Campinas para entregar exemplares de uma história em quadrinhos sobre a vida de Desmond Doss, que ganhou repercussão mundial com a estreia de Até o Último Homem, que concorre a seis categorias do Oscar. A ação, que focou em quem tinha acabado de ver o filme, foi uma oportunidade para apresentar algumas doutrinas que baseiam a fé adventista – como o plano da redenção, a trindade e os Dez Mandamentos.

Herói da Segunda Guerra Mundial, Doss ganhou notoriedade ao se recusar a pegar em armas e salvar mais de 70 soldados, incluindo inimigos, durante a batalha de Okinawa em 1942. Como reconhecimento, ele foi o primeiro objetor de consciência a receber uma Medalha de Honra do Congresso norte-americano.

Recepção do público

Apesar de ser formado por pessoas de diferentes idades e crenças (confira na galeria de fotos), o público que deixava a sala de exibição do filme estava visivelmente impactado com o que acabara de ver. Felipe Lavoura, por exemplo, estava com os olhos com lágrimas. “A gente saiu perplexo com a história do filme. Ele conseguiu provar que não é matando pessoas que vocês podem salvar a sua nação – às vezes é salvando as pessoas”, contou, acompanhado da namorada. O casal também recebeu um exemplar da biografia de Desmond Doss publicada pela Casa Publicadora Brasileira (CPB) com o título de Soldado Desarmado.

Pouco mais de uma década após a morte de Doss, a história do adventista que se recusou a pegar em armas ganhou repercussão mundial ao ser tema do longa, que recebeu indicações para o Globo de Ouro e Oscar, principais prêmios da indústria cinematográfica. No Brasil, o filme estreou no dia 26 de janeiro, com boa recepção da crítica especializada, que citou que a atitude de Doss durante o conflito armado foi fruto de sua convicção religiosa. [Equipe ASN, Lucas Rocha]