“O efetivo da Polícia Militar foi fixado em 15 mil policiais militares conforme Lei nº 3.793 de 27 de agosto de 2012, distribuído pelo Decreto nº 34.594, de 18 de março de 2014, não vem sendo respeitado pelos governos anteriores”. Assim se manifestou o presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), deputado estadual Cabo Maciel (líder do PR), na manhã desta quinta-feira (07), destacando que na data atual o efetivo da PM para cumprir sua missão institucional, tanto na capital como no interior do Estado, somados, totaliza menos de 10 mil policiais.

De acordo com o parlamentar o tema é preocupante e os números serão levados ao conhecimento do governador Wilson Lima (PSC) para que seja viabilizada a realização de concurso público para atender o preenchimento de vagas na Polícia e Bombeiro Militar, além da Polícia Civil.

Ainda nesse contexto, — prosseguiu o deputado —, o último concurso público realizado para ingresso de praças e oficiais  na corporação foi realizado no ano de 2011, e a cada ano a força policial perde efetivo, por diversas razões (aposentadoria, Licença para Tratamento de Saúde-LTS, disponibilização de efetivo para a Força Nacional, entre outros), e essa perda do efetivo acarreta prejuízos na operacionalidade, comprometendo a segurança pública do Estado, sendo mais prejudicada a população do interior do Estado, qual seja, nos 61 municípios do Amazonas o efetivo da Polícia Militar e da Polícia Civil são ínfimos, não atendendo o clamor da população por segurança.

Diante desse quadro, disse Cabo Maciel, que se faz necessário, em caráter de urgência, a realização de concurso público para ingresso de policiais militares e policiais civis, a fim de viabilizar a necessidade urgente de reforço do efetivo, otimizar as ações operacionais e as operações policiais no combate ao crime organizado, ao tráfico de drogas, inibir assaltos a mão armada, entre outros ilícitos penais.