Foto: Rebekah Fontes

A solenidade de abertura dos trabalhos da 1ª Sessão Legislativa de 2019, realizada nesta terça-feira, 05, foi marcada por uma série de protestos direcionados ao governador Wilson Lima.

Durante a leitura da 1ª mensagem governamental, uma onda de palavras de ordem lançada por professores, ex-funcionários da Secretaria de Estado de Habitação (Suhab) e servidores da saúde, por exemplo, ecoava na plenário Ruy Araújo.

Enquanto um grupo de ex-funcionários da Secretaria de Estado de Habitação (Suhab) protestavam contra o desligamento de 153 trabalhadores, professores da rede estadual de ensino, também, pediam a derrubada do veto da Lei da Transparência dos recursos da Educação e do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação).

Segundo um grupo de funcionários da Suhab, está sem condições de atender o público pela falta dos servidores demitidos.

“A gente não tá querendo emprego de ninguém, nós sabemos que somos comissionados, existe uma data pra entrar, existe uma data pra sair. O que a gente quer que alguma autoridade olhe e veja essa situação.”, disse Anora Lima.

De acordo com o grupo de manifestantes, as exonerações ocorreram por mensagem e ligações telefônicas.

Discurso do governador

Durante o discurso, Wilson Lima não poupou críticas ao governo anterior, afirmando até que a equipe de transição não repassou informações que correspondiam com a verdadeira situação da saúde do Estado.

“O rombo no estado é de mais de R$ 3 bilhões. Somente na área da saúde dívida chega a R$ 1,1 bilhão. Tudo isso resultado da falta de compromisso com a coisa pública”, disse Wilson.

O governador anunciou uma Reforma Administrativa para cortar gastos, podendo reduzir cargos e até secretarias. Segundo ele, de 2010 a 2017 houve aumento de 91% de gastos com pessoal.

“As mudanças não acontecem do dia para noite, não é simples tirar alguns viciados da zona de conforto”, disse o governador.