“Levei pernadas no PSDB”, diz Mateus ao declarar apoiar Eduardo Braga - Fato Amazônico

“Levei pernadas no PSDB”, diz Mateus ao declarar apoiar Eduardo Braga

Parintins – O vereador de Parintins, Mateus Assayag (PSDB) disse ao blog deAmazônia que decidiu apoiar o senador Eduardo Braga (PMDB) para o governo e não marchar com o ex-prefeito Bi Garcia (PSDB), para acompanhar o governador José Melo (PROS) a reeleição porque ele se sentia desvalorizado no grupo do tucano. “Fui desvalorizado e recebi muitas pernadas”, afirmou o parlamentar.

Mateus disse que no PSDB, liderado por Garcia, seus sonhos foram podados e que se continuasse regrediria. “Não dão oportunidade. É um ninho que ninguém se cria. Lá, por exemplo, levei duas pernadas”, acentuou. O vereador Mateus foi secretário de Obras da administração do ex-prefeito nos dois mandatos ( 2005/2012) e deixou o cargo no último ano ao voltar para o parlamento.

Sobre as pernadas o repórter deAmazônia quis saber.“ Uma delas foi na eleição para prefeito em 2012. Eu seria o vice-prefeito do Messias Cursino, com o nome indicado pelo PSDB. Tenho densidade e já fui o vereador mais votado. Mas na hora "h" me tiraram de novo. Houve um arranjo e eu fui descartado”, desabafou. Messias era o vice de Bi Garcia que disputou com Carbrás. Como vice de Cursino o PSDB indicou o atual presidente do Caprichoso, empresário Joilto Azêdo.

“A segunda pernada foi na eleição para a presidência da Câmara (1º. de janeiro de 2013). Eu seria o presidente. Estava tudo certo. Mas não hora da votação perdi para o Rildo Maia porque o apoio prometido falhou”, argumentou Assayag.

O blog deAmazônia apurou que a direção do PSDB vai abrir processo contra o parlamentar por infidelidade partidária, o que poderia resultar em expulsão e até perda de mandato. Sobre o tema Mateus se defendeu. “ Não acredito que isso possa ocorrer. As lideranças do meu partido são maduras e irão saber entender o meu posicionamento nesta hora. Isso é apenas uma questão de bom senso”, finalizou.

O deAmazônia apurou ainda que a gota d’água que levou Assayag, a romper com Garcia e ir para o grupo do senador foi o fato de ele ver interrompido seu desejo de sair candidato a deputado estadual. Porém, na convenção do PSDB o nome dele não passou. O candidato tucano pelo partido local é o ex-prefeito Bi.

deAmazônia.com.br