A ‘maquiagem’ do atual governo sobre a situação da Saúde no Amazonas, foi apontada pelo deputado Luiz Castro (Rede), como propaganda enganosa que não reflete a realidade caótica do atendimento à população. A intenção, segundo o parlamentar, é jogar para o futuro governo, a responsabilidade sobre o descontrole fiscal e o volume de dívidas não sanadas por Amazonino Mendes, que está deixando a casa em péssimo estado.

“Não vamos embarcar nesse discurso hipócrita e enganoso”, reagiu Luiz Castro, afirmando que o quadro real dos hospitais estaduais é de calamidade, com a superlotação de pacientes, falta de medicamentos e de material básico de atendimento, além do atraso no pagamento de enfermeiros, de técnicos de enfermagem  e de outros profissionais.

“A fila de consultas e exames através do Sisreg, ao contrário do que mostra a propaganda, nunca zerou, e isso é comprovado pelo número de pessoas que esperam meses por um exame para fazer uma cirurgia com ortopedista e, em muitos casos, acabam ficando com sequelas”, relatou o deputado, que constatou essa situação, nas visitas realizadas às unidades de Saúde.

De acordo com Luiz Castro, os pacientes renais crônicos e os que sofrem com doenças hepáticas, continuam enfrentando o drama da fila da morte, por falta de um serviço de transplante de rim e de fígado no Amazonas.  

A análise do quadro da atual gestão, pela equipe de transição, segundo Luiz Castro, entra em fase final. “O novo governo terá que fazer um grande esforço para organizar a administração estadual, em favor do interesse público e não de grupos empresariais”. Ressaltou.