Os presidentes da França, Emmanuel Macron, e dos Estados Unidos, Donald Trump, se mostraram de acordo quanto à possibilidade de a cúpula de Istambul sobre a Síria, marcada para o próximo sábado, resultar em um cessar-fogo permanente na província de Idlib.

Após uma conversa por telefone entre os dois governantes, o Palácio do Eliseu afirmou em comunicado que Trump pediu a Macron que defenda esta posição também diante de Alemanha e Rússia, os outros dois países que participam da cúpula, convocada pela Turquia.

Macron disse a Trump que “o desafio desta reunião é manter o cessar-fogo na região de Idlib (a última majoritariamente controlada pelos grupos opositores do presidente Bashar al Assad) e se aprofundar nas discussões relativas ao processo político da conclusão do conflito”, destacou a nota.

Na semana passada, fontes do governo francês afirmaram à Agência Efe que Macron comparecerá à cúpula sobre a Síria sob a condição de não haver uma ofensiva militar na província de Idlib, último reduto dos rebeldes.

“Se houver uma ofensiva em Idlib, a cúpula perderá uma das suas razões de acontecer”, indicou a fonte. (EFE)