Compartilhe
  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    5
    Shares

Os municípios de Manacapuru e Novo Airão receberam, no último fim de semana, o “Recital Amazônico”, formado por obras de compositores amazonenses, interpretadas também por talentos do Estado. A programação faz parte do 21º Festival Amazonas de Ópera (FAO), que continua até o dia 2 de junho.

O FAO 2018 é uma realização do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), com patrocínio do Bradesco Prime – que celebra 10 anos de parceria com o festival –, incentivo do Ministério da Cultura (Minc) por meio da Lei Rouanet; além do apoio da Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC) e da Aliança Francesa.

Na sexta-feira (18/05), a apresentação aconteceu às 20h, na Praça Riachuelo, na zona central de Manacapuru; e contou com a participação de sete artistas: Katia Freitas, Marinete Negrão, Yana Stravaganzzi, Miquéias William, Josenor Rocha, Roberto Paulo e André dos Santos, que mostraram seus talentos cantando clássicos brasileiros e amazônicos.

A dona de casa Maria Irailde, de 56 anos, contou que estava caminhando pela praça quando viu o começo do recital. Ela conta que é a primeira vez que assiste a trechos de ópera.

“Achei bem interessante. Aqui, em Manacapuru, estamos acostumados com ciranda e uma música mais agitada, por isso, quando passei, a música me chamou a atenção. Achei todos muito talentosos”, disse.

O secretário municipal de Cultura, Lurdem Cley de Almeida, considera importante a realização de ações culturais em praças e locais públicos.

“Estou encantado e tenho certeza que essa apresentação deixou o público na expectativa por mais. A SEC sempre está de portas abertas ao nosso município e isso me deixa muito feliz e com mais vontade de fazer novas parcerias”, comentou Almeida.

Com cerca de uma hora de duração, o recital foi composto canções de nomes como Pedro Amorim, Arnaldo Rebello, Cláudio Santoro e Lindalva Cruz.

A família do tenor Miquéias William, que mora em Manacapuru, se reuniu e compareceu ao Recital para prestigiar a atuação do cantor. Miquéias, que apresentou a canção “Canta o Uirapuru”, disse estar emocionado com a presença da família.

“Para mim é motivo de orgulho ver as pessoas que eu amo, minha família, a minha terra – apesar de não ter nascido em Manacapuru me considero conterrâneo – prestigiar meu trabalho e gostar do que faço. Espero que aconteçam cada vez mais ações do tipo”, contou.

Novo Airão – Em Novo Airão, o recital aconteceu na Praça do Dinossauro, na noite de sábado (19/05), com um público de 250 pessoas.

Antes de a apresentação começar, um grupo de seis crianças se posicionou na primeira fila de cadeiras. Uma delas se destacava, era Elias dos Santos, de 8 anos, que esperava ansioso o início do recital.

“Gosto muito de música clássica. Eu vejo os vídeos na Internet, não sei o nome das músicas, mas eu gosto, é muito bonito. Quando passou o carro de som avisando que ia ter recital, eu disse que queria assistir”, contou. 

O “Recital Amazônico” em Novo Airão teve a participação dos cantores Roberto Paulo (baixo), Elane Monteiro (soprano), Carolina Mendonça (soprano), Raquel de Queiroz (mezzo-soprano), Humberto Vieira (tenor) e Josenor Rocha (barítono); e com o pianista André dos Santos. A apresentação teve uma hora e um formato didático, com os cantores apresentando os compositores das músicas e um pouco da história de algumas das canções, entre elas “Cantigas praianas n° 2”, de Nivaldo Santiago; “Luar do meu bem”, de Claudio Santoro; “Mani Mani”, de Arnaldo Rebelo; “A Yara” e “Curupira”, de Pedro Amorim.

Ao final do recital, o pequeno Elias se mostrou encantado. “Foi muito legal! Todos os cantores são ótimos e saber que as músicas são de amazonenses é uma inspiração. Acho que as pessoas de Novo Airão também podem seguir os passos deles”, comentou.

O secretário de Turismo do município, Kleber Bechara, destacou que a iniciativa é importante, pois possibilita a população o contato com outras expressões culturais.

“Achei fantástico! É uma oportunidade que o Governo está dando para a população dos municípios, de ter contato com outras manifestações artísticas, uma coisa mais erudita que, teoricamente, está longe do cotidiano do povo do interior”, disse Bechara. “Uma iniciativa que enriquece, pois traz uma diversidade cultural interessante e que expõe ao público uma expressão cultural muito nobre”.

A professora e historiadora Euci Feitoza, que registrou boa parte da apresentação em vídeo e fez questão de fazer fotos com os artistas,  também ressaltou o estímulo ao conhecimento de outras linguagens artísticas.

“Achei maravilhoso, extraordinário e surreal porque quem poderia imaginar ópera em Novo Airão?”, apontou. “Eu gosto muito e já assisti no Teatro Amazonas. O Festival de Ópera do Amazonas é reconhecido no mundo todo e isso estimula uma nova cultura. Para nós, do município, não é uma realidade, mas a programação apresentou esse estilo de música. As pessoas só sabem se gostam de alguma coisa a partir do momento que conhecem, e hoje eu fiquei muito feliz porque vi muitos jovens, muitas crianças apreciando o recital. É uma grande oportunidade de despertar para uma nova cultura, uma nova arte”.

Ópera delivery – Após o recital na praça, a equipe da SEC descobriu o aniversário de 15 anos de Lara Gabrielly Alves e a presenteou com um “Ópera delivery especial”, fazendo uma apresentação surpresa na festa, com todos os artistas cantando.

Próximas edições – As próximas edições do “Recital Amazônico” acontecerão no dia 22, às 19h, no Teatro da Instalação, em Manaus; e no dia 26, às 19h, na Praça dos Três Poderes, em Iranduba. 

Festival Amazonas de Ópera – Neste ano, o Festival conta com a apresentação de cinco óperas: “Faust”, “Dessana Dessana”, “Florencia en el Amazonas”, “Acis and Galatea” e a estreia mundial “Kawah Ijen (Vulcão azul)”. Os ingressos estão disponíveis na bilheteria do Teatro Amazonas e no site www.aloingressos.com.br, com valores que vão de R$ 5 a R$ 60.

Durante a temporada de ópera, também acontecerão atividades paralelas nos centros de convivências, shoppings, nos municípios de Manacapuru, Iranduba (no distrito do Cacau Pirera) e em Novo Airão; além do “Ópera Delivery”, que levará sessões exclusivas de trechos de obras à casa dos amazonenses, e do projeto “Ópera Studio”, da Escola Superior de Artes e Turismo da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), que apresentará “La Boheme”, de Giacomo Puccini, no Teatro da Instalação.

Sobre o Bradesco Cultura – Com mais de 350 projetos patrocinados anualmente, o Bradesco acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. O Banco apoia iniciativas que contribuem para a sustentabilidade de manifestações culturais que acontecem de norte a sul do País, reforçando o seu compromisso com a democratização da arte. Com apoio a eventos regionais, museus, feiras, exposições, centros culturais, orquestras, musicais e muitos outros, a instituição tem, ainda, uma plataforma de naming rights com o Teatro Bradesco, que conta com unidades em São Paulo e Rio de Janeiro.

Em 2018, já passaram pela Temporada Cultural do Bradesco as exposições Julio Le Parc, Mira Schendel e Hilma af Klint, o espetáculo Bibi Ferreira e o Lollapalooza Brasil. Estão em cartaz os musicais Peter Pan e Ayrton Senna, além de diversas atrações confirmadas ao longo do ano, como os festivais de Parintins, Tiradentes, a festa junina de São João do Caruaru, ArtRio, MIMO e MADE, entre outras.

Serviço: Próximas edições do “Recital Amazônico”

Data/hora/local: dia 22 de maio, às 19h, no Teatro da Instalação, em Manaus; e no dia 26, às 19h, na Praça dos Três Poderes, em Iranduba

Entrada: Gratuita


Compartilhe
  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    5
    Shares