Manaus é selecionada para Campanha de Redução de Riscos e Desastres da ONU - Fato Amazônico




Manaus é selecionada para Campanha de Redução de Riscos e Desastres da ONU

Manaus foi uma das cidades selecionadas para participar da Campanha Mundial de Redução de Risco e Desastres da Organização das Nações Unidas (ONU) que tem como objetivo reduzir o risco de desastres nos municípios. A Defesa Civil de Manaus, em parceria com escolas públicas e por meio dos Núcleos Comunitários de Defesa Civil, cumpriu as 10 metas estabelecidas como critérios para a inscrição e credenciou a cidade à seleção.

De acordo com o Secretário Executivo de Proteção e Defesa Civil, capitão Aníbal Gomes, a seleção de Manaus é o reconhecimento do trabalho realizado pela prefeitura com a comunidade.

“Manaus está, no contexto mundial, também se preocupando com a redução de desastres que envolvem os fenômenos naturais, isso é importante sob os aspectos social e humano”, destacou.

O secretario executivo da Defesa Civil de Manaus ressaltou ainda o trabalho desenvolvido em 2013 com ações em parceria de outras secretarias e voluntários, o que o reconhecimento internacional.

A Defesa Civil de Manaus atendeu, este ano, 2.934 ocorrências registradas por meio do número de emergência 199. Entre os chamados, 657 foram de vistoria em residências por conta do risco de desabamento, 419 de alagamentos e 393 de deslizamentos de barrancos.

Além do atendimento emergencial, a Defesa Civil do Município realizou ações planejadas em parceria com outros órgãos e voluntários, destacando-se o levantamento das áreas de risco e a visita às áreas apontadas no relatório do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) como área de alto risco geológico.

Ainda em Janeiro, os técnicos da defesa civil de Manaus junto com as equipes da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos fizeram o cadastro das famílias e a vistoria nos 87 imóveis afetados pela água com o rompimento de uma adutora no bairro Compensa, zona Oeste da capital.

Outra ação que mobilizou toda a prefeitura além de grupos voluntários foi à cheia do Rio Negro. Este ano o Rio Negro atingiu uma das maiores cheias chegando a 29,33 metros no dia 14 de junho e afetou 14 bairros, o que exigiu a construção de 46 pontes 4.443 metros de passarelas para garantir o acesso das comunidades evitando o contato com a água que inundou as ruas. Com o final das ações emergenciais da Prefeitura de Manaus, a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh) contabilizaram 2.316 famílias atendidas em todas as zonas da cidade.

Em parceria com a comunidade a Defesa Civil Municipal implantou o projeto Núcleo Comunitário de Proteção e Defesa Civil, os NUPDECs em 40 comunidades da capital o que possibilitou a instalação, por meio de um convênio com o Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden), de pluviômetros em todas as zona da capital, que ajudam no monitoramento das chuvas. O equipamento registra o volume de água e auxilia nas ações de prevenção.

Ainda em 2013, a Defesa Civil de Manaus deu início ao treinamento de evacuação escolar na capital, o exercício utilizado em vários países, mobilizou centenas de alunos e professores nas escolas das zonas oeste e leste de Manaus. O treinamento foi feito pelos técnicos da Defesa Civil e os colaboradores das escolas que foram orientados a realizar a ação a cada três meses. O exercício visa o treinamento da saída com agilidade e segurança em caso de sinistro para evitar desastres.

A Defesa civil de Manaus realizou o treinamento dos técnicos do órgão e de voluntários do Nupdec, com a instrução do Curso de Proteção e Defesa Civil. O objetivo foi capacitar os servidores e os interessados na área de atendimento comunitário.

Outra ação que esta sendo realizada é de atendimento às famílias afetadas por alagamentos durante as chuvas que já começaram por conta do inverno em Manaus. Uma dos bairros mais afetados foi o Jorge Teixeira na zona Leste, onde a Defesa Civil de Manaus em parceria com a Semasdh atendeu 87 famílias que tiveram as casas alagadas e precisaram de apoio social. A Seminf também participou das ações de atendimento com o desassoreamento dos igarapés para evitar alagamentos na área.