Marcelo Serafim critica a ação de policiais em acidentes de trânsito ocorridos neste fim de semana - Fato Amazônico




Marcelo Serafim critica a ação de policiais em acidentes de trânsito ocorridos neste fim de semana

O vereador Marcelo Serafim, líder do PSB na Câmara Municipal de Manaus (CMM), expressou, nesta segunda-feira (2), durante o pequeno expediente, indignação com dois acidentes de trânsito ocorridos, no último fim de semana, nas zonas Norte e Centro-Sul de Manaus.

O primeiro foi na Av. Noel Nuteles, no bairro Cidade Nova que matou o sobrinho do vereador Professor Samuel. “Ele perdeu um parente pela irresponsabilidade de um policial que estava fora de serviço, bêbado e que saiu na contra mão, em alta velocidade batendo em uma moto. É óbvio que quando um policial dirige nestas condições, ele assume o risco de matar”, afirmou o parlamentar.

Para Marcelo Serafim o condutor deveria responder na justiça não por homicídio culposo, mas doloso (quando há intenção de matar), porque ele assumiu o risco. “O pior é que o cidadão foi preso, levado para a delegacia e em um momento de distração dos seus colegas de farda que lá estavam ele conseguiu sair e agora está foragido”, denunciou. “A polícia militar tem que tomar uma providência diante da opinião pública. As pessoas que permitiram a fuga deste motorista cometeramum crime também”, alertou o vereador. Segundo informações dos jornais, os policiais militares que estava de plantão na delegacia estão afastados, mas para Marcelo Serafim isso não basta.

O segundo acidente de trânsito foi no Parque das Laranjeiras, próximo à casa do parlamentar e provocou a queda de energia por horas. “Nas proximidades de minha casa, um louco subiu a calçada próxima ao meu condomínio, derrubou um poste, deixou duas moças gravemente feridas e apesar de bêbado, ele nada sofreu”, esclareceu. Da tribuna da Casa, Marcelo Serafim anunciou que vai entrar em contato com o Secretário de Segurança Pública para saber o que aconteceu com as pessoas envolvidas neste outro acidente, pois de acordo com ele, os PM’s apenas conversaram com o condutor que não foi levado à delegacia onde deveria ter sido feito um auto de flagrante. “Não posso aceitar que vidas sejam ceifadas pela irresponsabilidade de condutores bêbados”, finalizou.