Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Gazeta Esportiva – Gustavo Scarpa pode reestrear pelo Palmeiras nesta quarta-feira. Após acertar seu retorno ao Verdão, o meia nem ficou no banco do duelo contra o Deportivo Árabe Unido, no sábado, mas deve estar disposição de Roger Machado para a partida desta quarta-feira, contra o Independiente Medellín, às 22h15 (de Brasília), novamente no Panamá.

O médico do Alviverde, Gustavo Maglioca, porém, explicou que o Departamento de Saúde e Performance não tem pressa que o atleta volte a entrar em campo. A intenção neste momento é fazer com que o jogador possa disputar a dura sequência do segundo semestre sem lesões acarretadas pelo longo período afastado.

“Vai depender muito da sua resposta aos estímulos da preparação e sua resposta mensurada na fisiologia. Temos pressa para condiciona-lo e não para ele jogar”, afirmou o doutor à Gazeta Esportiva.

Gustavo Scarpa não joga há mais de três meses – sua última partida foi no dia 11 de março. Desde então, ele vinha mantendo a forma com um preparador físico particular, em Hortolândia (SP).

Vale lembrar que, além dos 28 jogadores que compõe as opções de Roger para os três amistosos – o primeiro terminou com vitória palestrina diante do Deportivo Árabe Unido -, quase 40 funcionários de staff viajaram com o clube para o país centro-americano.

A equipe de profissionais monitorando os atletas é composta por fisiologistas, fisioterapeutas, preparadores físicos e nutricionista. O chef que prepara as refeições dos jogadores na Academia de Futebol também está na delegação e até mesmo a comida brasileira (como arroz, feijão e carne) foi transportada para o outro continente.

Após o TST (Tribunal Superior do Trabalho) conceder habeas corpus ao jogador, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) publicou no BID (Boletim Informativo Diário) a rescisão de contrato de Scarpa com o Fluminense. Desde então, o meia teve seu destino nas mãos e optou pelo Alviverde.

O atleta e seus empresários tinham uma oferta milionária de um clube da Arábia Saudita, além de sondagens do Benfica-POR. A opção do jogador, porém, foi reassinar seu contrato com o Palestra, no valor de 6 milhões de euros, pagos em luvas a Scarpa – este havia sido suspenso por cláusula contratual em virtude do imbróglio jurídico com o Fluminense.

No entanto, independentemente da decisão do meia, o Fluminense entrará com recurso no TST. Se conseguir derrubar o habeas corpus, o Tricolor volta a ter o vínculo do atleta. Se ele tivesse optado pela Arábia, o procedimento seria o mesmo, sendo que caso o clube estrangeiro descumprisse ordem do TST, o time das Laranjeiras poderia acionar a Fifa, que tem órgãos para definir a situação.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •