Israel reforçou nesta segunda-feira (12/11), as medidas de segurança perto da Faixa de Gaza após uma nova escalada de violência no domingo que causou a morte de sete milicianos palestinos e um soldado israelense, em um troca de fogo durante uma operação das forças especiais israelenses no território litorâneo.

“O Exército israelense reforçou suas tropas no Comando Sul e está preparado para operar com força se for necessário”, indica um comunicado.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, que estava em Paris por ocasião da comemoração do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial, retornou no domingo durante a noite de urgência para avaliar a situação.

O Ministro de Defesa, Avigdor Lieberman, realizou esta manhã uma avaliação adicional da situação de segurança na principal base do Exército em Tel Aviv com o chefe do Estado Maior israelense, Gadi Eisenkot, o chefe da Inteligência Militar e o da Polícia Militar.

Durante a reunião, se tratou sobre “a preparação das tropas e das forças de segurança diante dos desenvolvimentos futuros”.

Além disso, devido à situação atual, as escolas das comunidades israelenses próximas a Gaza não abriram hoje e a linha do trem que circula entre as cidades de Ashkelon e Sderot permanece fechada.

(EFE)