“Hoje, o governador Amazonino Mendes espalha panfletos falando em inexperiência e corrupção, e esquece que foi ele o responsável por colocar o governador cassado José Melo no poder”, reagiu o deputado Luiz Castro (Rede), na manhã de ontem (26), derrubando mais uma informação falsa da fábrica de maldade da campanha de Amazonino (PDT), no segundo turno da disputa pelo governo do Estado.

O recado da população amazonense, segundo Luiz Castro, foi claro: não aceita mais essa prática rasteira de políticos que se escondem atrás da mentira pra não assumir os erros que cometeram. “O próprio Amazonino não tinha qualquer experiência quando foi nomeado prefeito de Manaus pelo ex-governador Gilberto Mestrinho”, frisou o deputado.    

Para refrescar a memória do candidato do PDT, Luiz Castro afirmou que  José Melo chegou ao poder pelas mãos do governador Amazonino Mendes, que o nomeou secretário estadual de Educação, em 1987.

Luiz Castro lembra ainda que em 1993, eleito prefeito de Manaus, Amazonino nomeou, novamente, José Melo como secretário de Educação do município, e desde então, Melo foi passando por vários cargos, em governos comandados pelo grupo da velha política, que domina o Estado há quase 40 anos.

Para o deputado, o desespero bateu na porta da campanha do atual governador, que tenta se reeleger pela quinta vez, se descolando da figura de José Melo, cassado em 2016, por envolvimento no desvio de dinheiro da Saúde do Amazonas.

“A população amazonense já conhece essa prática rasteira, e vai reafirmar a sua opção por uma nova forma de fazer política no Estado”, destacou Luiz Castro, que integra a coligação PSC/REDE/PRTB, encabeçada pelo candidato a governador do Amazonas, Wilson Lima, que lidera as pesquisas de intenção de votos para o segundo turno da eleição.