Membros da CPI da pedofilia da Assembleia Legislativa irão a Brasília captar informações - Fato Amazônico

Membros da CPI da pedofilia da Assembleia Legislativa irão a Brasília captar informações

Resolvidas as pendências sobre sala própria, equipamentos e técnicos auxiliares, a CPI da Pedofilia da Assembleia Legislativa do Amazonas, instalada para investigar os crimes de exploração sexual de menores e pedofilia em todos os municípios do Amazonas, já adotou dois eixos de trabalho iniciais: uma viagem a Brasília para captar informações da CPI nacional sobre o mesmo assunto e a formação da lista de depoimentos que serão tomados, ainda em Manaus.

A primeira reunião da CPI definiu que três membros da comissão – Abdala Fraxe (PTN), Ricardo Nicolau (PSD) e Luiz Castro (PPS) – irão a Brasília, na próxima segunda-feira (28). A i deia é se reunir com a presidente da CPI da Pedofilia, deputada federal Érika Kokay e obter informações a respeito do Amazonas.

Enquanto isso, os outros dois membros – Orlando Cidade (PTN) e Conceição Sampaio (PP) – vão preparar os depoimentos previstos para ocorrer na quarta-feira (30) com a delegada Linda Gláucia e um representante da Polícia Federal no Amazonas. A intenção dos integrantes da CPI é se municiar de informações locais e nacionais para começar os trabalhos a partir dessas informações.

Também serão convocados membros do Ministério Público do Estado (MPE), Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) e Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/AM). “A intenção é verificar junto a esses órgãos, a existência de inquéritos que possam estar tramitando sobre assuntos relacionados à pedofilia e exploração infantil”, disse Abdala Fraxe, presidente da comissão.

Segundo Fraxe, enquanto esperam as informações processuais, a CPI vai buscar ouvir toda a rede que atua no enfrentamento a essa problemática, como a Secretaria de Ação Social tanto do Estado como do município, conselhos tutelares e outros órgãos que trabalham com esse tema.

O presidente da CPI acrescentou que, em Brasília, o objetivo é se municiar da experiência dos membros da CPI nacional, há mais de um ano em andamento, que terão informações valiosas, inclusive do Amazonas a fim de fazer um trabalho mais específico na CPI da Aleam. “Lá o arco é muito grande, porque existem informações sobre pedofilia do Brasil inteiro e nós vamos aprofundar essas informações”, frisou Fraxe, lembrando que o segundo passo é analisar as informações obtidas como um todo.

As reuniões da CPI irão ocorrer sempre às terças e quintas-feiras, a partir das 15h, podendo ser abertas ou fechadas. O e-mail para recebimento de denúncias é: [email protected]