O desemprego atinge 12,2 milhões de brasileiros, segundo dados da última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada pelo IBGE. Apesar de elevada, a taxa de desocupação vem decaindo – passou de 13,1% para 11,76% ao longo de 2018. Foram criados 858.415 empregos com carteira assinada de janeiro a novembro no país. Entre as carreiras de nível superior, as que mais abriram vagas foram as ligadas ao setores de tecnologia e de saúde, segundo levantamento realizado pelo site Quero Bolsa a pedido de VEJA.

A carreira de nível superior com mais contratações foi a de analista de sistemas, com 47.692 vagas. No ranking das 10 mais, aparecem outras profissões do setor de tecnologia, como analista de suporte computacional (14.518) e programador de sistemas (12.271). O bom desempenho das profissões dessa área mostra que o mercado continuará necessitando de mão de obra especializada em tecnologia, setor que exige constante atualização.,

Em segundo lugar, considerando apenas as profissões de nível superior, está a enfermagem, com 46.991 contratações. Outras carreiras ligadas ao setor de saúde também se destacam na geração de vagas com carteira assinada: farmacêutico (38.607), médico clínico (11.884), nutricionista (10.312) e fisioterapeuta (10.040). O ranking também mostra a criação de 9.557 vagas de preparador físico, refletindo o aumento da preocupação do brasileiro com a saúde e bem estar físico em geral.

Os especialistas em contratações são unânimes ao afirmar que as profissões ligadas ao setor de tecnologia continuarão bombando em 2019. A explicação é simples: existem poucos profissionais especializados e muitos postos a serem preenchidos. Ou seja, há mais procura do que profissionais disponíveis para essas vagas. Então, quem busca uma carreira em ascensão deve apostar em cursos dessa área.

Mas não são apenas as profissões características do setor de tecnologia que estarão em alta. Luana Marley, supervisora de assessoria de carreiras da Catho, diz que carreiras que exigem conhecimento de tecnologia continuarão a puxar contratações em todas os setores da economia. É que esse tipo de aptidão funcionará como um diferencial para profissionais de diferentes áreas e níveis de escolaridade. Entre as novas profissões que vão incorporar o conhecimento da tecnologia estão o técnico em telemedicina, que atua na instalação e suporte de sistemas em hospitais e clínicas, e o advogado digital, que detém conhecimento sobre legislação eletrônica e crimes cibernéticos.

Por isso, Luana recomenda que profissionais que procuram por uma nova oportunidade de trabalho em 2019, independentemente do setor de atuação, se atualizem sobre as tendências de tecnologia em suas áreas. “Estamos em um mercado de trabalho mutante, em que todos os dias novas demandas são criadas. Ser aberto a mudanças é fundamental para quem quer se dar bem na carreira”.

A lista de carreiras mais promissoras de 2019 elaborada pela Randstad, líder global em RH, confirma a prevalência de profissões ligadas à tecnologia. Logo no topo aparecem as carreiras de business intelligence (BI) e marketing digital. “O business intelligence será requisitado porque as empresas precisam montar análises, estatísticas e tendências para o planejamento estratégico e execução sem perdas”, diz Winston Kim, gerente regional da Randstad.

A aposta no marketing digital está relacionado à necessidade das empresas de melhorar a experiência do usuário, analisar o perfil de diferentes tipos de consumidor e oferecer produtos e serviços cada vez mais personalizados. 

Já Ricardo Basaglia, diretor geral da Michael Page, diz que o perfil das vagas que serão abertas em 2019 tende a ser bem diverso. Isso pode ocorrer em função da a adaptação do mercado à reforma trabalhista, que criou novas formas de contrato, e da expectativa com a política econômica do governo Jair Bolsonaro. “Podemos ter a reinserção de profissionais das mais variadas formações, talentos que ainda estão procurando trabalho ou algum tipo de transição na carreira.”

A aposta dos profissionais de RH é que vagas com mais especialização puxem as contratações de 2019. Para Wilma Dal Col, diretora de gestão de talentos da Manpower Group, 2019 tende a ser um ano melhor para o mercado de trabalho. A expectativa de contratações para o primeiro trimestre de 2019 é a maior desde 2014, movimento que deve ser puxado pelo setor de agronegócio.

Em 2018, entretanto, o maior número de contratações se deu entre carreiras de baixa qualificação. São vagas que pagam salários menores e têm alta rotatividade. Exemplo disso é a vaga de vendedor de comércio varejista, para qual foram contratadas 750.999 pessoas até outubro – volume 1.626% maior que as vagas de analista de sistemas.

(VEJA)