Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, apresentou para artistas, produtores e gestores culturais do Amazonas, o Circuito #CulturaGeraFuturo, seminário que está percorrendo todas as capitais brasileiras e que visa disseminar informações sobre as ferramentas de incentivo à cultura disponibilizadas pelo Governo Federal, assim como capacitar esses produtores para utilização desses mecanismos, em especial a Lei Rouanet. O evento aconteceu na manhã de ontem (25/06), no Centro Cultural dos Povos da Amazônia (CCPA). Antes da apresentação o ministro, que foi recebido pelo Secretário de Estado de Cultura, Denilson Novo, assistiu a uma apresentação do Balé Folclórico do Amazonas.

Em sua palestra, Sérgio Sá Leitão apresentou números do ranking nacional da captação de recursos pela Lei Rouanet e destacou que o potencial do Amazonas é subutilizado, assim como a região Norte. O Estado é o 16º no ranking e a região tem apenas 0,92% da captação.

“Nós temos um vastíssimo potencial de apoio à cultura no Amazonas e na região Norte, mas esse potencial está sendo subutilizado e a ideia do Minc é que possamos investir mais em um maior número de projetos aqui no Estado e em toda a região. Isso passa por um maior uso da Lei Federal de Incentivo à Cultura, também do Fundo Setorial do Audiovisual e de outros mecanismos que nós temos”, afirmou.

Sobre os fatores que fazem com que o Estado não tenha tanto acesso aos incentivos federais, o ministro disse que são dois principais: o baixo número de projetos apresentados e a sensibilização das empresas.

“Em 2017, foram apenas 20 projetos apresentados no Estado do Amazonas, sendo que quatro captaram. É muito pouco. E o valor também é pequeno considerando o potencial cultural e econômico do Estado”, avaliou. “De um lado, precisamos capacitar os produtores culturais, mobilizar os artistas e produtores para que apresentem mais e melhores (em termos de formatação) projetos, para que possamos ampliar esse investimento; e precisamos também sensibilizar as empresas para que utilizem mais a Lei Federal com intuito de apoiar projetos culturais aqui do Estado”, pontuou.

O secretário de Cultura, Denilson Novo, destacou a importância do circuito para a democratização e melhor distribuição de projetos aprovados via Lei Rouanet.

“O Amazonas carece de políticas públicas culturais, de projetos e de uma relação mais estreita com as políticas públicas federais. A gente sabe das limitações e da pouca participação do Norte em projetos de Lei com esse, mas estamos buscando, com a presença do ministro, estreitar os laços, aprofundar os conhecimentos sobre os trâmites da Lei e, principalmente, viabilizar alternativas para que possamos de fato democratizar a distribuição de projetos aprovados via Lei Rouanet”.

Presença dos municípios – Participaram do encontro representantes de vários municípios como Amaturá, Borba, Fonte Boa, Humaitá, Itacoatiara, Manacapuru, Presidente Figueiredo, Urucará e Rio Preto da Eva.

Walter Yallas, secretário de Cultura de Presidente Figueiredo, falou da importância da participação dos municípios no evento.

“O momento é muito bom, nós secretários de Cultura dos interiores, sentimos uma distância muito grande entre Estado e País. Eu não lembro de, em um outro momento, ter estado junto de um ministro da Cultura, ouvindo o que ele tem a nos oferecer”, observou. “Mesmo quando entramos no site do MinC encontramos dificuldades para esclarecer dúvidas quanto a melhor forma de fomentar nos municípios, e aqui tivemos mais clareza sobre as ferramentas. Fundamental esse encontro!”.

Produtores culturais – Cleverson Redivo, produtor cultural e diretor geral do projeto “Amazon Cine 3D”, que conseguiu captar R$ 1 milhão da Lei Rouanet para percorrer 22 municípios na região Norte, diz que o #CulturaGeraFuturo ajuda a desmistificar a Lei.

“Um evento dessa natureza desmistifica a questão da Lei Rouanet e traz as pessoas para conhecerem mais um Estado que tem um potencial enorme para investimento. É um primeiro passo para fomentar novos projetos e, num segundo momento, melhorar a questão da capacitação”, assinalou. “Um passo importante do Estado que contribui para que as empresas queiram investir na região amazônica, e o que é mais importante: desenvolver a cultura do nosso Estado”.

O evento, que continuou no período da tarde, contou ainda com palestras de representantes da Agência Nacional do Cinema (Ancine); da Secretaria do Audiovisual (SAV) e da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura (Sefic).

Visitas – Após o evento no CCPA, o ministro fez um tour pelos espaços culturais da SEC. Participou de um almoço no Centro Cultural Palácio Rio Negro; visitou o Teatro Amazonas, onde assistiu ao ensaio do Balé Experimental do Corpo de Dança do Amazonas e subiu até a famosa cúpula; e fez uma visita guiada ao Palacete Provincial, onde conheceu a Pinacoteca do Estado e os museus de Numismática, Tiradentes, da Imagem e do Som (Misam) e de Arqueologia. 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •