Ministro dos Transportes vai reunir com bancada do Amazonas para tratar da BR 319 a pedido de Sandra Braga - Fato Amazônico

Ministro dos Transportes vai reunir com bancada do Amazonas para tratar da BR 319 a pedido de Sandra Braga

O ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, vai receber a bancada do Amazonas para tratar do andamento das obras da BR 319, que liga Manaus a Porto Velho. O ministro atendeu a um pedido da senadora Sandra Braga (PMDB/AM), feito nesta quarta-feira (29) durante audiência na Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado.

“Acho que seria adequado nós marcamos essa visita e conversarmos até um pouco mais tecnicamente para que possamos acompanhar de perto o que hoje nós podemos esperar ou não dessa BR”, justificou Sandra.

O pedido da senadora foi confirmado pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB/AM), que também questionou o ministro sobre a paralisação das obras da rodovia. Ao falar sobre a demora na conclusão dessas obras, Grazziotin lembrou que o Amazonas não tem ligação por estrada com o resto do país. Ela disse que a reivindicação pela conclusão da obra tem mais de dez anos.

“O Amazonas é ligado ao Norte do país, à América Central e até América do Norte por meio de uma estrada, que é a BR-174, mas não temos nenhuma ligação com o próprio Brasil”, destacou.

Antonio Carlos Rodrigues disse que está à disposição da bancada e que a reunião pode ocorrer na hora que o grupo de parlamentares marcarem.

Hidrovias

Na audiência pública realizada para ouvir os representantes do Ministério dos Transportes sobre o impacto do ajuste fiscal nos investimentos do órgão, a senadora Sandra Braga também perguntou sobre as perspectivas para a Amazônia no Plano Hidroviário Estratégico, que está sendo executado na região.

A questão foi respondida pelo Diretor de Infraestrutura Aquaviária do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Valter Casimiro Silveira. Ele explicou que já foram feitos estudos de viabilidade em todas as bacias hidrográficas.

“Na região Amazônica foi feito estudo no Madeira, está sendo executado no Amazonas, e está em fase de finalização dos rios Tapajós e Tocantins”, informou.