Ministro Edson Fachin autoriza investigação contra Renan, Jucá, Braga e outros cinco senadores do MDB - Fato Amazônico


Ministro Edson Fachin autoriza investigação contra Renan, Jucá, Braga e outros cinco senadores do MDB

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou abertura de inquérito para apurar repasse irregular de R$ 40 milhões da J&F para as campanhas de políticos do MDB em 2014. A investigação foi autorizada com base nas delações de Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, e Ricardo Saud, ex-diretor da JBS.

O esquema supostamente teria beneficiado os senadores Jader Barbalho (MDB-PA), Eunicio Oliveira (MDB-CE), Renan Calheiros (MDB-AL), Valdir Raupp (MDB-RO), Eduardo Braga (MDB-AM) e o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Vital do Rego.

Machado disse ter ouvido em reuniões, ocorridas na casa de Renan, que a JBS, empresa do grupo J&F, faria doações à bancada do MDB do Senado em 2014 no valor de R$ 40 milhões. Saud relatou destinado, aproximadamente, R$ 46 milhões ao partido. O repasse teria ocorrido a pedido do PT.

De acordo com Saud, várias doações foram realizadas de forma oficial, mas “tratava-se de vantagem indevida, uma vez que dirigentes do PT estariam comprando o apoio de peemedebistas para as eleições de 2014 como forma de assegurar a aliança entre os partidos”. Fachin autorizou a abertura do inquérito atendendo a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Conforme trecho do despacho de Fachin, divulgado pelo portal G1, o ministro ressaltou que “há razão suficiente para, neste momento, reconhecer que os fatos ocorridos denotam especial interligação nas condutas atribuídas a parlamentares federais e aos demais envolvidos, a recomendar a persecução abrangente dos fatos narrados e evitar decisões contraditórias”.