MISSIONÁRIOS: Imersão cultural caracteriza missões nativas pelo Brasil - Fato Amazônico




MISSIONÁRIOS: Imersão cultural caracteriza missões nativas pelo Brasil

Brasília, DF… [ASN] Desde os primeiros anos escolares é aprendido: o Brasil nasceu de povos indígenas. Eles estavam aqui antes da chegada do colonizador europeu. Séculos de história se passaram, marcada por desapropriação territorial e colonização, e estes povos subsistem, muitos com suas tradições pioneiras já bastante comprometidas pela influência da cultura que essa trajetória agregou.

Dados do IBGE de 2013 contabilizam uma população de cerca de 820 mil indígenas no Brasil; um decréscimo considerável se comparados com os dados de 1500, que contabilizavam três milhões de índios. A data de hoje – 09 de agosto, Dia Internacional dos Povos Indígenas – não apenas homenageia estas populações pela sua relevância na história, mas também reforça a necessidade de atenção às causas relacionadas ao exercício dos seus direitos e à manutenção da sua cultura.

A Igreja Adventista mantém diversos projetos sociais com populações indígenas. A maior parte das atuações consiste em trabalho voluntário. As áreas de atendimento vão desde a saúde e educação até a construção e reforma de estruturas importantes nas aldeias (como escolas e postos de saúde), consultoria jurídica, ensino do evangelho, etc.

Um desses trabalhos é a Missão Karajá, em que estudantes voluntários da Faculdade Adventista da Bahia dedicam alguns dias por ano a prestar serviços em comunidades indígenas de etnia Karajá, na Ilha do Bananal – TO. Conheça o projeto no documentário abaixo: