Moradores do Alvorada fazem abaixo-assinado para conseguir na Justiça intervenção na escola de samba do bairro - Fato Amazônico

Moradores do Alvorada fazem abaixo-assinado para conseguir na Justiça intervenção na escola de samba do bairro

Os moradores do Alvorada, na Zona Centro-Oeste de Manaus resolveram ontem (29), realizar um abaixo-assinado para ingressar na Justiça na terça-feira (31), pedindo a intervenção no Grêmio Recreativo Escola Unidos do Alvorada pela falta de prestação de contas dos últimos anos. E para solicitar ao Governo do Estado que tire das mãos de um time de futebol a administração da quadra construída com mais de R$ 3 milhões de dinheiro público, mas que hoje a comunidade não pode usufruir a não ser que pague a importância de R$ 5 mil.

De acordo com Sandro Maia, a idéia depois de conseguir a intervenção na Justiça, é que seja empossada uma junta governativa que em poucos dias deverá fazer uma eleição para a diretoria da escola dando o direito de voto aos moradores que elegerão o presidente.

Sandro disse que a escola de samba arrecada dinheiro todos os anos não somente no período carnavalesco e não presta contas de nada com ninguém.

“Não somos contra a escola de samba que foi fundada no bairro há vinte anos, queremos apenar participar das coisas que acontecem da quadra para dentro”, disse Sandro, afirmando que enquanto outras escolas de samba de Manaus e fora investem no social a do bairro do Alvorada não traz um benefício a comunidade. “Eram dezessete pessoas que mandavam na escola, dois morreram e hoje quem manda são quinze pessoas isso não pode continuar assim”, acrescentou o morador.

De acordo com Sandro, para a escola conseguir a verba que é repassada pelo governo do estado no período do carnaval, como ela estava inadimplente eles juntamente com pessoas da Secretaria de Infraestrutura usaram o CNPJ de um clube de futebol que até hoje é usado para esses saques milionários sem nenhuma prestação de contas dos gastos com a comunidade.

“Temos em nossa comunidade dois campões mundiais, o José Aldo, do UFC e agora o Marcos "Loro" Galvão, que se tornou o novo campeão do peso-galo do Bellator”, declarou Sandro, afirmando que por conta da administração não prestar conta dos gastos com a comunidade nenhum dos comerciantes do bairro não querem mais colaborar.

A reportagem do Fato Amazônico, tentou ouvir a diretoria da escola para falar a respeito do abaixo-assinado e das denúncias pelo celular 9921x-8x6x, mas não teve êxito, estava fora da área de serviço..