Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Não seria exagero afirmar que Manaus – antes chamada de belle époque, a Paris dos trópicos, não só pela beleza refinada de suas ruas, boulevard e palacetes, mas, também, pela paz vivida pelo seu povo – reúne, hoje, todos os contornos de uma praça de guerra.

De um lado, a temida facção Família do Norte (FDN), armada até os dentes pela manutenção de seus domínios, não perdoa e ao menor sinal de ameaça de sua “possessões”, a bala canta.

Do outro lado, não menos temido, o Comando Vermelho (CV), armado até os cotovelos, avança com voracidade pela conquista de novos territórios.

No meio do fogo cruzado, inerte e apavorado, o povo eleva as mãos para os céus e, em prece, roga proteção pelos seus.

A polícia, agora “orientada pelo expert em segurança – o ex-prefeito de Nova Yorque (EUA) – perde fôlego para os “manos” e o estado mergulha em profundo descrédito.

Na madrugada deste domingo, 24, por exemplo, por volta de 01h, moradores da rua 07, bairro do Lírio do Vale, Zona Oeste da cidade, assistem, perplexos, a exibição de força, poder e ousadia de homens encapuzados e de cara limpa, fortemente armados, durante a invasão de um casa.

Toda a ação foi gravada por uma câmera de segurança.

Três carros chegam ao local, dez homens desembarcam, alguns escalam o muro de uma casa e começam o tiroteio.

A ação é rápida e até que o último homem abandone a casa invadida o tempo gasto para a evasão do grupo durou exatos 1 minuto.

Até o momento, o estado não se pronunciou sobre o caso. Mesmo assim, policiais que estiveram no local se anteciparam às informações oficiais e disseram que a invasão em território do CV foi patrocinada pela FDN.

Os policiais não informaram se houve baixas – mortos e feridos – durante o confronto.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •