MPF inspeciona hospital no Rio Preto da Eva e encontra condições precárias de higiene na cozinha e alvará vencido desde 2013 - Fato Amazônico

MPF inspeciona hospital no Rio Preto da Eva e encontra condições precárias de higiene na cozinha e alvará vencido desde 2013

O Ministério Público Federal do Amazonas, 8ª edição do projeto MPF na Comunidade, em inspeção no último domingo (12) a Unidade Hospitalar de Rio Preto da Eva (a 57 quilômetros de Manaus), constatou que o alvará de funcionamento do hospital está vencido desde 2013. De imediato o órgão recomendou ao secretário estadual de Saúde do Amazonas, Wilson Alecrim, o procedimento de renovação do alvará.

A inspeção apontou ainda irregularidades como condições precárias de higiene na cozinha e no trato de alimentos, exposição de prontuários de pacientes, além do descarte incorreto de resíduos hospitalares e medicamentos com prazo de validade vencido.

Diante das irregularidades, o MPF recomendou à Vigilância Sanitária do Estado que realize inspeção emergencial na unidade hospitalar do município, no prazo de cinco dias.

Atualmente o hospital encontra-se em funcionamento e realizando cirurgias semanais e partos sem dispor de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Em caso de necessidade, o paciente é transportado para Manaus, embora o hospital não disponha de uma UTI móvel. A estrutura física do hospital não possui acessibilidade nos banheiros para pessoas com deficiência.

O relatório produzido a partir da visita descreve que a unidade hospitalar atende casos de média complexidade, com abrangência intermunicipal, dispondo de apenas um médico clínico plantonista. Não há no quadro de funcionários médicos diaristas e profissionais de outras especialidades, situação que levou o MPF a incluir na recomendação indicação à Secretaria de Saúde para contratação de mais profissionais de saúde, inclusive médicos.

A recomendação indica prazo de dez dias para que a Secretaria de Saúde apresente plano emergencial destinado à correção de todas as irregularidades.

Com informações da assessoria do MPF