O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo realizou ontem, sábado (20/10), com transparência, auditoria pública de verificação da integridade dos sistemas eleitorais de quatro urnas eletrônicas utilizadas no dia 7 de outubro (1º turno). 

Os testes confirmaram a integridade e a autenticidade dos sistemas instalados em todas as urnas auditadas: duas da 351ª Zona Eleitoral (Cidade Ademar) e outras duas da 404ª Zona Eleitoral (Cidade Tiradentes), sendo a urna substituída e a substituta. 

As urnas da seção 005 da 351ª Zona Eleitoral – Cidade Ademar tiveram comportamento escorreito, sem nenhuma intercorrência, processando as mídias necessárias às eleições, e realizando a votação paralela, cujos resultados ditados e digitados coincidiram com os resultados do boletim de urna expedidos no domingo de eleição. 

Na análise do hardware de cada equipamento, observou-se defeito no teclado da urna eletrônica que funcionou originariamente na seção 227, da 404ª Zona Eleitoral – Cidade Tiradentes. 

Nessa urna específica, foram observados defeitos aleatórios em teclas diversas durante a digitação após sucessivas repetições do autoteste. O autoteste é o procedimento padrão para verificação do regular funcionamento de todos os componentes da urna eletrônica (tela, teclado e áudio, entre outros) e do terminal do mesário. 

Cabe esclarecer que a Justiça Eleitoral promove a imediata substituição de qualquer urna eletrônica com defeito técnico. A propósito, a urna eletrônica auditada foi substituída no início da manhã (às 9h42) no dia da eleição, tão logo se tomou conhecimento da ocorrência de defeitos, o que pode ser verificado tanto na ata da seção eleitoral preenchida pelos mesários quanto nos registros de log da urna eletrônica. 

Todo o procedimento de auditoria foi realizado de forma transparente, com o acompanhamento da Polícia Federal, do Ministério Público, de representantes da Ordem dos Advogados do Brasil, de partidos políticos e demais interessados, além de um observador técnico internacional da Organização dos Estados Americanos. 

A auditoria com votação paralela aconteceu sem nenhuma intercorrência e os resultados aqui obtidos coincidiram com aqueles apresentados nos respectivos boletins de urna no dia da eleição.