O técnico Tite terá uma árdua, porém prazerosa missão neste novo ciclo rumo à Copa do Mundo de 2022, no Catar. Ainda tendo ao seu dispor diversos atacantes renomados e que terão condições de disputarem mais um Mundial, o comandante do time canarinho também começa a analisar novos nomes, cada vez mais em ascensão no cenário global, como Vinicius Jr, David Neres, Malcom, Richarlison, entre outros.

Uma coisa é certa: não haverá vaga para tanta gente talentosa na Seleção quando a lista de 23 atletas tiver de ser fechada para alguma competição oficial. Douglas Costa, por exemplo, possui 28 anos e apesar de ter um longo currículo na Europa, terá de trabalhar duro por uma vaga entre os escolhidos de Tite. Willian, do Chelsea, é outro exemplo, uma vez que chegou aos 30 em 2018.

“Sempre foi meu sonho poder participar da Seleção e me firmar como um jogador importante. Venho buscando esse espaço, sempre que sou convocado penso em estar em campo ajudando a Seleção. Espero que consiga no decorrer desses anos continuar na Seleção, porque isso me dá muito prazer”, afirmou Douglas Costa.

Richarlison é um ótimo exemplo dessa nova safra de jogadores que vem começando a incomodar os mais velhos. Contratado na última janela de transferências pelo Everton, o atacante que se destacou logo em sua primeira temporada no Campeonato Inglês já balançou as redes seis vezes em 11 jogos com a camisa do novo clube e rapidamente chegou à Seleção. Vestindo a Amarelinha, ele manteve o bom desempenho, marcando dois gols no amistoso contra El Salvador e conquistando a comissão técnica.

Convocado por Tite para os amistosos contra Uruguai e Camarões, assim como Richarlison, Douglas Costa tem a grande chance de mostrar ao treinador que ainda pode ser bastante útil à Seleção Brasileira apesar do episódio polêmico em que se envolveu recentemente, quando cuspiu em um adversário durante uma partida do Campeonato Italiano.

Willian é outro atleta que terá de superar a forte concorrência dos mais jovens. Hoje com 30 anos, o atacante do Chelsea terá 34 anos na próxima Copa do Mundo, fator que pesa na hora de Tite definir sua lista de convocados, já que uma das características mais fortes do atleta que tem dois Mundiais na conta é a velocidades.

“A Seleção sempre teve grandes jogadores, então, quanto mais jogadores de qualidade, melhor para a Seleção. Fico contente e satisfeito de poder estar aqui disputando uma posição”, concluiu Douglas Costa.

(Gazeta Esportiva)