Um dia após o término do carnaval, o deputado estadual Wilker Barreto (PHS) foi até o Hospital 28 de Agosto e constatou que o número de medicamentos em estoque zero na unidade aumentou de 55 para 60. De Produtos para a Saúde (PPS) somam 433 itens. A indignação do humanista foi que o crescimento ocorreu dois dias após sua penúltima ida ao HPS, que aconteceu na segunda-feira, 4. Assim, apesar das visitas nos hospitais do governador Wilson Lima e do vice-governador e secretário da Susam, Carlos Almeida, durante os dias festivos, nada mudou. Pelo contrário, o caos se multiplica.

“Quando visitei o 28 de Agosto no dia 16 de fevereiro, faltavam 47 medicamentos, sendo 29 essenciais e 18 vitais. No dia 23, fui à unidade com a intenção de nova visita e fui barrado. Quando retornei na última segunda de carnaval, 4, não me passaram a lista oficial impressa, mesmo assim, foi possível visualizá-la e tirar foto, registrando a falta de 55 medicamentos. Menos de uma semana depois, encontro o hospital com o estoque zero de 60 remédios. Estou com medo de vir na semana que vem e esse número aumentar mais ainda. Como ficam os procedimentos que precisam de remédios vitais”, indagou Wilker.

Ainda segundo Barreto, a situação é crítica pelo fato da unidade receber uma grande quantidade de pacientes. A informação foi passada pelo diretor do HPS 28 de Agosto, Eduardo Mesquita Jr, que atendeu o parlamentar na manhã desta quinta. Os dados revelam que mais de 1 mil pessoas procuram o Hospital durante o dia, sendo deste montante uma média de 300 do interior, totalizando mais de 30 mil indivíduos por mês. Isso sem contabilizar com os Produtos para a Saúde (PPS).

“Eles (governador Wilson Lima e vice Carlos Almeida) foram aos hospitais no carnaval e constataram o que eu constatei no dia 08 de fevereiro. O sistema está em colapso. O que não pode é o Governo ser lento com a compra de insumos e medicamentos. O 28 de Agosto atende 70% da população do interior e o governo está dando 60 dias para repor o estoque. O governador e o secretário de Saúde do Estado faltam com a verdade. Até lá morreu muita gente”, afirmou.

Wilker também fez questão de destacar na conversa com Eduardo Mesquita que achou estranho a fala do vice-governador em dizer que a insuficiência de remédios do Hospital Pronto-Socorro 28 de Agosto é compensada pela Maternidade Dona Lindu (que fica ao lado do Pronto-Socorro). A declaração foi feita em entrevista à Rede Tiradentes, na manhã desta quinta, 07. 

“O próprio diretor do hospital chegou a concordar comigo que, em sua grande maioria, os insumos do 28 são diferentes da maternidade, principalmente quando falamos de complexidade. Acredito que o vice-governador deve ter se equivocado”, frisou.

O parlamentar promete adotar providências emergenciais na próxima semana para que os medicamentos sejam restabelecidos.