Repercutiu bastante na mídia nacional a fala do Deputado Tiririca – pela primeira (e última vez, segundo ele)na Tribuna da Câmara dos Deputados. Como tudo na vida, teve gente que criticou e muita gente que aplaudiu. Eu me somo aos últimos.

Nem sempre as palavras rebuscadas, repletas de tecnicismos, transmitem o que desejamos dizer. Oratórias eloquentes encantam e  seduzem, mas muitas vezes não passam disso. Não abandonam o círculo da retórica. São palavras e mais palavras jogadas ao vento, de qualquer jeito, de qualquer forma, só para “encher linguiça”. No fundo, não há conteúdo. São formas, formas e mais formas. Nada mais.

Mas há aquela eloquência que encanta. Não tanto pela forma, mas principalmente pelo  conteúdo transmitido. E nesse quesito Sua Excelência arrasou. Disse tudo que muitos brasileiros gostariam de dizer aos nobres Deputados. Sem agredir, sem grosserias, na boa. O palhaço que nunca havia antes subido à Tribuna – e que por isso era motivo de chacota por alguns de seus  pares – abriu o verbo. Deu uma aula de cidadania. Foi preciso apenas 8 minutos e 40 segundos. Até com uma certa elegância. As palavras simples ecoaram tão fortemente naquele recinto que a plateia literalmente calou. Ninguém interrompeu. Exceto o ruído chato de uma cigarra que teimava em tentar interromper sua fala. Talvez porque a carapuça coube na medida certa na cabeça de alguém.

A verdade não tem meio termo. Ela chega e vai dando logo o recado, dizendo ao que veio, sem rodeios, sem hesitações. E olha que paradoxo:  alguém ridicularizado, tomado como analfabeto, estava proferindo uma aula magna. E justamente para um público “Classe A”, dono do próprio nariz. Como se diz no popular: para alguém “passado na casca do alho”. Um público que sempre soube o que fazer e que não precisa da opinião de coadjuvantes, principalmente coadjuvantes iletrados e ignorantes. Mas parece que Sua Excelência não falou por si próprio. Todo o povo brasileiro falou junto com ele e através dele. Muita gente desabafou por meio da boca do palhaço Tiririca. Não ficou faltando nada. O pronunciamento foi irretocável.

Vou resumir aqui as palavras de um amigo meu: “Tiririca agiu acertadamente. Na Câmara dos Deputados estava no Circo, digo, no local errado. Tiririca é um palhaço que faz o povo sorrir; diferente da Casa Legislativa que tem feito tanta gente chorar”.

É como Voto.

Alipio Reis Firmo Filho

Conselheiro Substituto – TCE/AM