Obras da Seinfra, de ampliação do abastecimento de água do Rio Preto da Eva, estão abandonadas - Fato Amazônico

Obras da Seinfra, de ampliação do abastecimento de água do Rio Preto da Eva, estão abandonadas

Rio Preto da Eva (Elcimar Freitas) – As obras de ampliação do abastecimento de água do Rio Preto da Eva, no valor de mais de R$ 1 milhão e 957 mil, de responsabilidade da Secretaria de Estado de Infraestrutura, da secretaria Waldívia Alencar, que teve início em fevereiro de 2012, já na administração Omar Aziz, e deveria ser entregue em setembro do mesmo ano, nunca foi concluída, está completamente abandonada.

De acordo com moradores do bairro Carlos Braga, que leva o nome do pai do ex-governador Eduardo Braga, eles ficaram animados quando as obras de ampliação do abastecimento de água começaram, mas ficaram revoltados ao verem passar um ano e seis meses e nada ser feito.

No bairro Carlos Braga, a placa já esta completamente desbotada e nada da obra ser entregue

“As obras começaram a todo vapor e hoje como você pode ver está tudo abandonado. Era para o governador Omar Aziz, ter nos entregue essas obras em setembro de 2012, mas nunca o fez”, disse uma comerciante, que temendo represália, pediu sigilo da fonte.

No local onde seria construída a caixa d’água do abastecimento, estão apenas a placas da Seinfra, onde diz o valor da obra, início e termino, o que se pode encontrar hoje no local tomado pelo mato e lixo são a estrutura da caixaria de uma obra completamente abandonada há mais de um ano.

A caixa d’água do bairro Canaã, o mato também já toma conta da obra que está abandonada

Na do bairro Canaã, a poucos metros da casa do prefeito do Rio Preto da Eva, Luiz Ricardo Chagas, esta a outra obra de uma caixa d’água completamente abandonada.

Nessa a caixa d’água, chegou a ser construída, mas como a obra nunca foi concluída pela Seinfra, os moradores do Canaã, nunca viram a água jorrar do reservatório, que hoje esta apenas de enfeite na entrada do bairro.

O local, assim como do bairro Carlos Braga, está tomado pelo mato e lixo e os moradores até hoje não sabem se as obras serão concluídas para eles terem um melhor serviço de água em suas casas.

A reportagem do Fato Amazônico, entrou em contato com assessoria de imprensa da Seinfra, que pediu as fotos que foram enviados no dia 27 do mês passado, mas até hoje não obtivemos nenhuma resposta da secretaria Waldívia Alencar.