Obras do quadrilátero da Copa entram na fase de conclusão - Fato Amazônico

Obras do quadrilátero da Copa entram na fase de conclusão

Ao todo 62,5 quilômetros de pavimento asfáltico foram concluídos nas 15 vias que compõem o quadrilátero da Copa em Manaus. As vias que circundam os quatro eixos principais do Mundial, que são o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, Arena da Amazônia, Ponta Negra e Centro vêm recebendo serviços de infraestrutura da Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), desde agosto do ano passado com intervenções nos períodos do dia, da noite e, principalmente, da madrugada, quando os trabalhos são mais intensos a partir das 22h.

Segundo o diretor de Engenharia da Seminf, Antônio Nelson, as obras previstas para serem realizadas nas vias que compõem o Quadrilátero da Copa do Mundo em Manaus serão finalizadas até o final de maio. “No quadrilátero inteiro, as obras de pavimento já estão concluídas. Em dezembro boa parte já havia sido entregue. A avenida Djalma Batista será entregue em sua totalidade. Não apenas a parte do pavimento, como também as calçadas e a parte de sinalização que foi uma intervenção grande. Já na Constantino Nery, em todo o entorno da Arena da Amazônia, nós estamos revitalizando o canteiro central, que também estará concluído neste período, além de mais 42 plataformas do BRS (Bus Rapid Service); e algumas outras pequenas intervenções no entorno”, afirmou o diretor.

As equipes da Seminf trabalham atualmente nos canteiros centrais das avenidas Djalma Batista, Constantino Nery e Torquato Tapajós, com troca de sarjeta, meio-fio e calçada. Na Avenida Djalma Batista as calçadas serão de três metros e contarão com rampas de acessibilidade, guarda-corpo e nova sinalização com taxas de demarcação do pavimento, exceto alguns lugares pontuais que ainda encontram-se em fase de desapropriação, onde a situação requer um pouco mais de tempo.

Fazem parte também do pacote de obras para a Copa, a Ponte do São Jorge, que será entregue até a segunda quinzena de maio, a ciclovia que tem início na Avenida Boulevard Álvaro Maia, Zona Sul, e percorrerá as Avenidas Duque de Caxias, Kako Caminha, Brasil, Coronel Teixeira até chegar à Marina do Davi, na Ponta Negra, zona Oeste. Para o Mundial só serão finalizados 2,5 quilômetros, que estão sendo construídos no encontro da avenida Duque de Caxias com o Boulevard Álvaro Botelho Maia. O Complexo Viário da Torquato Tapajós, também está sendo construído para desafogar o trânsito em uma região que recebe o fluxo de carros que seguem na direção do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, além dos bairros das zonas Norte, Oeste e também dos veículos que seguem em direção à BR-174 (Manaus – Boa Vista) e AM-010 (Manaus – Itacoatiara).

O aditivo de tempo para as obras que não poderão ser entregues antes da Copa se dá por conta do período chuvoso. “A gente infelizmente contou com um inverno muito rigoroso e esse período do ano diminuiu um pouco o ritmo das obras, mas como a gente teve êxito no ano passado, na velocidade, a gente considera que foi uma intervenção boa. Até as próprias construtoras entenderam qual é a necessidade e a prioridade do prefeito Artur Virgílio Neto e eu acho que todos estão trabalhando num ritmo bom”, avaliou o diretor de Engenharia da Seminf, Antônio Nelson.

Nova intervenção na avenida Constantino Nery

À pedido da Unidade Gestora da Copa em Manaus, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes cedeu o terreno localizado em frente à Arena Amadeu Teixeira para que a Prefeitura de Manaus, por meio da Seminf, expandisse a alça de acesso ao bairro da Alvorada em mais 150 metros. Com isso a rua que fica em frente à Arena Amadeu Teixeira para o sentido Centro/Bairro dará espaço a mais calçada, conforme exige a Fifa. O retorno existente na área será retificado. Segundo Antonio Nelson, a nova alça vai ficar transversal à Avenida Lóris Cordovil e contará com três faixas de 3,60m mais meio fio e calçamento novo. Tudo isso integrado ao novo padrão de obras da Prefeitura, ou seja, massa asfáltica de Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ), acessibilidade, sinalização em tinta termoplástica, entre outros itens.