Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Mais oito empresas prestadoras de serviços médicos e de enfermagem que atuam nas unidades da rede estadual de saúde aderiram ao acordo proposto pelo Governo do Estado, para pagamento de dívidas de gestões anteriores. As negociações estão sendo conduzidas pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam). De acordo com o secretário estadual de Saúde, Francisco Deodato, com as novas adesões, já são 25 empresas a formalizar o acordo com o Governo.
 
Os diretores das oito empresas compareceram voluntariamente última sexta-feira (24) à Susam, para assinar o acordo, considerado histórico, que estabelece o parcelamento da dívida e um calendário fixo de pagamentos. A proposta também ganhou o apoio do Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam). O presidente da entidade, Mário Vianna, esteve na Susam para apoiar o acordo. Mário Viana, que também é diretor do Instituto de Cirurgia do Estado do Amazonas (Icea), empresa que já havia assinado o acordo pela manhã, disse que a proposta atende às expectativas da grande maioria.
 
“Eu acho que o acordo atende as expectativas sim, até porque as perspectivas que a gente tinha com os outros governos eram zero. A partir do momento que existe um cronograma de pagamento, já é um grande avanço, porque não existia nada. Sabemos que o governo não tem como tratar cada caso de forma diferenciada dos outros, porque fica difícil. Cada empresa tem que decidir se a proposta do Governo foi suficiente. No meu entendimento foi, até porque, pela movimentação dos colegas das demais empresas, o acordo foi satisfatório para a grande maioria”, afirmou.
 
Empresas – As últimas empresas a assinarem o acordo foram o Instituto de Medicina Intensiva (IMI), Serviço de Enfermagem Especial do Amazonas (Segeam), Instituto Médico Odontológico (Cooptrauma), CC Batista, Serviços de Saúde Manaós, Multiproffissionais (Imasam), Clínica Amazonas de Neurocirurgia (CAN)e I.S de Souza – Amazon Clinical. 
Na última sexta-feira (24), outras 17 empresas já tinham assinado o acordo – Coopaneo, Coopenure, Iete, Coopati, Cooped, Coap, Imed, Igoam, Icea, Univasc, Cooperclin, Saap, Queiroz, Cardiobaby, Cooperfint e S J Atividade Médica Hospitalar e Coopanest.
O acordo – Ficou estabelecido pelo acordo que o Governo do Amazonas vai efetuar o pagamento de um mês referente a esta administração, entre 11 e 15 de dezembro, e metade de um mês referente ao passivo, no período de 18 a 22 de dezembro. Na primeira semana da segunda quinzena de janeiro de 2018, pagará mais um mês referente a esta administração e mais a metade de um mês referente ao passivo. O restante do passivo será parcelado a contar de fevereiro até outubro de 2018.
O acordo do parcelamento será feito individualmente, com cada uma das empresas, uma vez que os atrasos variam de um a cinco meses, mas a garantia é de que todos receberão os atrasados até outubro de 2018. Desde que os pagamentos começaram a atrasar, esta é a primeira vez que um acordo com definição de calendário e forma de pagamento de passivos é estabelecido, o que vai permitir a regularidade dos pagamentos, conforme explica o secretário Francisco Deodato. As empresas afirmam que, nas gestões passadas, como não havia acordo formalizado, as datas de pagamento não eram cumpridas.

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •