Omar Aziz afirma que investimentos na segurança pública iniciados na sua gestão serão irreversíveis na próxima administração - Fato Amazônico




Omar Aziz afirma que investimentos na segurança pública iniciados na sua gestão serão irreversíveis na próxima administração

O governador do Amazonas, Omar Aziz, foi homenageado ontem, durante o 5º Destaque da Segurança e Cidadania do Amazonas 2013, com o “Oscar da Segurança”, organizado pela empresa HF Comunicação. Durante a homenagem, o governador ressaltou os investimentos que têm sido feitos na segurança pública do Amazonas, desde o início da sua gestão, que, de acordo com ele, são irreversíveis e devem ser contínuos.

Omar Aziz disse que a política de investimentos implementada em sua administração deve ser levada adiante, independente de quem esteja no comando do Estado. “Essa política que adotamos na segurança pública é irreversível, independente de quem seja o governador. A população não vai mais aceitar que esses investimentos não sejam feitos, porque já ficou provado que com investimentos conseguimos diminuir os índices de criminalidade”, afirmou.

O governador ressaltou, ainda, os resultados na diminuição no número de crimes desde a implantação do programa Ronda no Bairro e destacou que essa diminuição deverá ser sentida também no interior do Estado, com a ampliação do programa nas principais cidades do Amazonas.O curso de capacitação, que é a fase inicial do processo de implantação do Ronda no Bairro, já foi realizado em sete municípios: Iranduba, Manacapuru, Itacoatiara, Humaitá, Parintins, Tefé e Tabatinga.

Na última segunda-feira, dia 11, foram inaugurados três novos Distritos Integrados de Polícia (DIPs) na zona oeste de Manaus, além do novo Comando de Policiamento e Seccional da Área Oeste (CPA Oeste). Na ocasião, Omar Aziz também anunciou a entrega de mais sete DIPs até fevereiro de 2014, como parte do plano de modernização e reestruturação do Sistema de Segurança Pública, iniciado em 2011.

O governador disse também que é necessário se combater o tráfico de drogas e reforçar as fronteiras do Estado, já que, segundo ele, a violência existente hoje em Manaus não acontece apenas aqui e é causada principalmente pelo tráfico de drogas. “O orçamento da Secretaria Nacional de Segurança Pública é menor que o orçamento do Estado do Amazonas. Nós temos 8,5 mil quilômetros de fronteiras totalmente desprotegidas e um número reduzido de policiais federais para proteger essas fronteiras. É o momento do Brasil refletir”.

Omar agradeceu o reconhecimento obtido com o prêmio e afirmou que os investimentos não são necessários apenas na parte estrutural com bons e modernos equipamentos, mas também no setor humano da segurança. Ele destacou o aumento no orçamento da Segurança Pública, que hoje é de R$ 1 bilhão.

A cerimônia de entrega do “Oscar da Segurança” aconteceu no Salão Rio Solimões do Centro Cultural Palácio Rio Negro, na Avenida 7 de Setembro, Zona Sul de Manaus, e contou com a presença de diversas autoridades da segurança do Estado e representantes das Forças Armadas do Brasil.

O ex-superintendente da Polícia Federal do Amazonas, Sérgio Lúcio Mar dos Santos Fontes, também foi um dos homenageados e escolhido a Personalidade do Ano. Fontes está deixando a instituição para assumir a presidência da Agência Nacional de Polícia, em Brasília (DF). O delegado viaja na próxima segunda-feira, dia 18, para a capital federal e será nomeado no novo cargo na quarta-feira, dia 20.

Seleção dos homenageados –De acordo com a empresa organizadora, o evento tem o objetivo de homenagear os melhores operadores do sistema de segurança pública das esferas federal, estadual e municipal, do sistema judiciário e das forças armadas, além de parlamentares, jornalistas e membros da sociedade civil que tenham se destacado em ações em prol da cidadania.

De acordo com a organização do evento, a cada ano, uma comissão multidisciplinar, formada por jornalistas, operadores do sistema de segurança, lideranças sindicais e representantes da HF Comunicação, realizam criterioso acompanhamento das ações públicas para efetiva escolha dos homenageados, principalmente no que diz respeito à cidadania, direitos humanos e ao meio ambiente.