Ordem doa Advogados acompanha todo o processo que envolve a morte do advogado - Fato Amazônico


Ordem doa Advogados acompanha todo o processo que envolve a morte do advogado

A Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Amazonas, acompanha todo o processo que envolve a morte do advogado Wilson de Lima Justo Filho, assassinado na madrugada deste sábado (25), nas dependências de uma casa noturna no bairro Ponta Negra, onde foi atingido com quatro tiros pelo delegado de Polícia Civil, Gustavo Sotero.
O presidente da OAB-AM, Marco Aurélio de Lima Choy, esteve pessoalmente na delegacia onde o fato foi registrado e acompanhou a oitiva das testemunhas desde as primeiras horas do ocorrido. 
“A OAB lamenta com pesar e indignação esta morte. Wilson Filho era um advogado, pai de família e que deixa duas crianças pequenas e uma mulher viúva, mulher esta que também foi atingida pelos tiros disparados por esse agente do Estado, que deveria proteger a população e não cometer um crime tão bárbaro, e, por isso afirmamos que vamos nos empenhar fortemente para que este delegado seja punido. Qualquer discussão, qualquer empurra empura de bar não significa dizer que está autorizado a desferir quatro tiros independente em quem quer que seja, contra um advogado, contra qualquer pessoa, tiros em posições fatais, tiro no peito, tiros na altura da cabeça, tiros de execução para quem tem perícia de atirar como um advogado de polícia”, afirmou.
Choy afirma ainda, que  os órgãos de Segurança  do Estado realizaram um valoroso trabalho de investigação com relação ao caso. “Damos o voto de confiança ao sistema de segurança pública, que vem desenvolvendo um amplo trabalho de apuração, e também ressalto que este caso é um situação isolada e não macula os bons policiais  que existem no Amazonas”, afirma. 
O presidente da seccional do Amazonas vai acompanhar a audiência de custódia que será realizada ainda nesta tarde, no Fórum Henoch Reis e sugere que a Justiça converta a prisão em flagrante do delegado em prisão preventiva. “Existe uma ameaça à sociedade sim. Existem outros episódios envolvendo o delegado, noticiados amplamente pela imprensa. Pugnamos pela demissão desse delegado a bem do serviço público. Não podemos aceitar que um agente de segurança pública do Estado saia dando tiro por aí em casa noturna onde todos nós, os nossos filhos, qualquer um de nós poderia estar hoje naquele caixão”, disse Choy.
O velório do advogado Wilson Justo Filho, acontece na sede da OAB-AM, localizada na avenida Umberto Calderaro Filho, 2000, Adrianópolis, a partir das 15h. O enterro será às 10h hoje (26), no Cemitério São João Batista, localizado na Avenida Boulevard Álvaro Maia, bairro Nossa Sra. das Graças.