Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

BRASÍLIA – O Brasil encerrou o mês de maio com a abertura de 33.659 vagas de emprego formal, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na terça-feira, 20, pelo Ministério do Trabalho.

O número é inferior ao registrado no mesmo mês de 2017, quando o saldo foi positivo em 34.254. Mais cedo, o presidente Michel Temer havia antecipado o número em sua conta do Twitter.

Nos cinco primeiros meses do ano, o saldo é positivo em 381.166 vagas e, nos últimos 12 meses, de 284.875 postos. O resultado mensal foi puxado pelo setor agropecuário, que abriu 29.302 postos, seguido pelo setor de serviços, com a abertura de 18.577 vagas e pela construção civil (+3.181).

Também foram positivos os resultados dos setores de serviço de utilidade pública (+555), indústria extrativa mineral (+230) e administração pública (+197). Por outro lado, houve fechamento de vagas no comércio (-11.919 postos) e na indústria da transformação (-6.464 postos).

Segundo os dados do Caged, o mês de maio terminou com 4.385 admissões de trabalhadores com contrato intermitente, enquanto houve fechamento de 1.165 vagas pelo sistema de jornada parcial, o que resultou em um saldo positivo de 3.220 empregos.

Os Estados com o maior número de contratações nesta modalidade são: São Paulo (saldo positivo de 1.067), Espírito Santo (349) e Minas Gerais (348 postos).

Já as contratações de trabalhadores em regime de tempo parcial atingiram 5.338 em maio, com 3.357 desligamentos, o que resultou em um saldo positivo de 1.981 empregos. Os maiores saldos foram registrados em São Paulo (526), Ceará (232) e Rio de Janeiro (218). O Caged informou ainda que houve 14.576 desligamentos por acordo no mês de maio. (Estadão)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •