Elaine Perez Caparroz antes e depois das agressões. Ela terá de fazer cirurgias para reconstruir a face por seis meses. — Foto: Reprodução

A paisagista Elaine Perez Caparroz, internada desde sábado (16), depois de ser espancada dentro do próprio apartamento na Barra da Tijuca, na Zona Oeste, recebeu alta médica na manhã desta sexta-feira (22). A vítima estava internada desde o dia 16 no Hospital Casa de Portugal, no Rio Comprido, Zona Norte do Rio, após ser violentamente espancada durante um encontro. Por volta das 9h20, a paisagista ainda não havia deixado o hospital.

Segundo o médico Ricardo Cavalcanti, responsável pela avaliação plástica do rosto de Elaine, a reconstrução da face dela deverá durar aproximadamente seis meses. Elaine sofreu diversas fraturas no rosto e perdeu um dente durante as agressões.

“A parte clínica está estabilizada, a parte emocional talvez tenha um caminho pela frente. Ela tem bastantes edemas. Foi agredida principalmente no rosto e tórax. A recuperação deve durar de 3 a seis meses. A próxima etapa é melhorar dos hematomas. Posteriormente ver as consequências das agressões. Nenhum osso está fora do lugar. Ela tem olhos inchados e, no momento, não consegue abrir direito o olho esquerdo, pois teve um descolamento da retina”, disse Helio Primo, coordenador da clínica médica.

Elaine foi violentamente agredida durante cerca de quatro horas. O suspeito de ter cometido as agressões é o bacharel em direito Vinícius Batista Serra, de 27 anos.

O casal manteve um relacionamento por redes sociais por cerca de oito meses, mas na noite de sexta-feira (15) tiveram o primeiro encontro. Vinícius foi preso em flagrante e alegou ter tido um surto psicótico. Segundo Elaine, ela acordou com as agressões. Vinícius teve a prisão preventiva decretada por tentativa de feminicídio.

Na quarta-feira (20), ele foi levado para o Hospital Psiquiátrico Robertos Medeiros, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, para uma avaliação psiquiátrica. De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), ele em um período de observação e sendo acompanhado por uma equipe médica.

A polícia já sabe que há três anos, Vinícius Serra também foi acusado de agredir o próprio pai e o irmão, dentro de casa. Os pais de Vinicius tinham depoimento marcado para terça-feira (19) na delegacia, mas não apareceram.

A paisagista deve ser ouvida a qualquer momento pela polícia, já que a delegada Adriana Belém, da 16ª DP (Barra da Tijuca), aguardava apenas uma melhora de Elaine para pegar o depoimento dela. (Com informações de G1)