Quem hoje vê as pregações do pastor Paulo Júnior — seja pelo YouTube ou presencialmente — talvez não imagine o que ele passou em sua adolescência e juventude.

Durante uma pregação na Igreja Presbiteriana de Pinheiros (SP), o pastor contou que é filho de pais católicos e, quando tinha 14 anos, foi evangelizado por um jovem chamado Alexandre, que o alertou sobre o pecado da idolatria e o levou para a igreja evangélica. Porém sua conversão não ocorreu naquele tempo.

“Ali ainda não se deu a minha conversão. Foi lançada uma semente. Eu tive o primeiro contato com o Evangelho, comecei a congregar com aqueles irmãos durante três anos. Aquela era uma igreja muito boa. Acontece que aos 16 anos de idade, eu me desvio e vou conhecer o mundo. Então, dos meus 16 aos 23 anos começa a minha saga ímpia”, relatou o pastor.

O desvio

Paulo Júnior relatou que sua queda foi realmente degradante: de alguns primeiros goles de bebida alcoólica e tragadas em cigarros, o então adolescente passou a fumar maconha e chegou a usar crack e se envolver com o narcotráfico, atendendo desde os usuários mais ricos até os mais pobres.

“Eu me tornei um usuário, um drogado, uma pessoa bem desconstruída. Ao ponto de a minha mãe estar vendo novela na sala e eu no quarto com três marginais e uma montanha de cocaína. Nós estávamos ali cheirando, enquanto fazíamos os papelotes para depois de vender”, relatou.

“Dei muito desgosto para a minha mãe, conheci todas as baladas, andava com as pessoas mais ricas da cidade, eu ia às casas, mansões, churrascos e piscinas, vender drogas de segunda a domingo. Ia às festas mais requintadas, sofisticadas, banhadas a álcool, drogas, que só terminavam ás 7 horas da manhã. Ao mesmo tempo conheci também as mais pobres, conheci o outro lado, as biqueiras, os traficantes, as pessoas mais sujas”, acrescentou.

Paulo Júnior passou 7 anos na criminalidade e se afundando no vício das drogas. Mas aquela semente do Evangelho, que foi plantada em seu coração quando ele tinha apenas 14 anos foi essencial para que sua vida fosse impactada de forma sobrenatural posteriormente.

“Eu passei por essas situações, sobretudo aquela semente do Evangelho estava dentro de mim. Eu já sabia da existência de um inferno, eu já sabia sobre a volta de Jesus, sabia da condição para alguém herdar a vida eterna e sabia que se eu morresse naquele instante, iria para o inferno. Então aquele evangelismo do Alexandre [9 anos atrás] foram suficientes para causar em mim culpa, noção da minha depravação, da minha necessidade de um salvador e as formas de ser salvo, não mais por obras, velas, procissão, missas, mas pela expiação feita na cruz”, contou.

Experiência sobrenatural

Paulo conta que certo dia, se vestiu com roupas novas importadas que havia ganho de um amigo e foi para a casa de um de seus comparsas. De lá, ambos sairiam juntos para uma festa. Mas enquanto esperava seu amigo se aprontar para sair, algo sobrenatural aconteceu com Paulo Júnior.

“De repente, um fogo começa a invadir o meu coração. Eu começo a contorcer, olhar para aquele moletom, aquele tênis, aquela calça e disse: ‘Juliano, o que é isso aqui, cara? Isso aqui é tudo inútil, tudo ilusão! O que eu estou fazendo da minha vida? Eu estou perdido! Eu vou para o inferno! Eu preciso de Deus! Eu vou voltar a buscar a Deus!”, relatou.

O pastor conta que seu amigo ficou tão impactado com aquela cena que quis se juntar a ele.

“Se você for, eu vou também”, disse Juliano, segundo o relato de Paulo Júnior.

“Ali, naquela hora, naquela sala, com 23 anos, eu senti convicção do meu pecado. Ali se deu a minha conversão, ali foi a minha estrada de Damasco”, explicou o pastor.

Então, depois daquela experiência, sedento de Deus, Paulo Júnior procurou para o amigo que o havia evangelizado na adolescência.

“Alexandre, Alexandre! Tem culto hoje? Eu quero ir para o culto!”, disse Paulo Júnior na época.

O amigo explicou que tinha culto naquela noite e era um culto de jovens.

“Eu fui e faz 20 anos que eu nunca mais saí”, celebrou Paulo Júnior.

O pastor expressou sua gratidão a Alexandre, que orou incansavelmente por Paulo Júnior, durante os 7 anos que o então jovem desviado desperdiçou sua vida nas drogas e na criminalidade. (Guia-me)

Confira o testemunho completo no vídeo: