Pizzolato foge para a Itália e Polícia Federal pede ajuda à Interpol - Fato Amazônico




Pizzolato foge para a Itália e Polícia Federal pede ajuda à Interpol

RIO – O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado a 12 anos e sete meses de prisão no processo do mensalão, fugiu para a Itália. Ele próprio comunicou a fuga, em carta que foi divulgada ontem pelo advogado Marthius Sávio Lobato. A Polícia Federal aguardava que o ex-diretor do BB se entregasse – mas, aproveitando a dupla cidadania, ele disse que exerceu seu "legítimo direito de liberdade para ter um novo julgamento" no país europeu.

Na última sexta-feira, 15, no feriado da Proclamação da República, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, expediu mandados de prisão para 12 condenados, entre eles o ex-diretor do BB. Os principais protagonistas do mensalão – o ex-ministro José Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoino e Marcos Valério Fernandes de Souza – se entregaram no mesmo dia.

O ex-tesoureiro petista Delúbio Soares se apresentou ontem à PF (veja abaixo). Apenas Pizzolato não se entregou. Ontem à tarde, a PF informou que o nome dele será lançado na lista de foragidos da Interpol, organização internacional de auxílio às polícias de diversos países.