A ocorrência de atentados contra autoridades e pessoas importantes tem se tornado cada vez mais frequente na sociedade global, vitimando assim, um grande número de figuras históricas na sociedade, como por exemplo, o ex-presidente norte-americano John F. Kennedy, morto em 1963 enquanto desfilava em carro aberto na Praça Dealey, em Dallas, Texas, Estados Unidos.

Provocados pelas mais variadas motivações e concretizadas por meio das mais diversificadas maneiras e artifícios, os atentados causam nas pessoas sentimentos de comoção, medo e desespero.

Diante dessa realidade e visando a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014™, a Polícia Civil do Amazonas dá início nesta segunda-feira (27) à terceira turma do Curso de Proteção de Autoridades, tendo como principal função tornar os profissionais de segurança pessoal, qualificados e capacitados para garantir a integridade física e psicológica das pessoas que estejam tuteladas pelo Estado.

Para o Delegado Geral Adjunto da Polícia Civil, Mário Aufiero, o investimento feito para assegurar a tranquilidade dos jogos da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014™ em Manaus tem sido satisfatório.

“A Polícia Civil tem se empenhado de forma bastante forte, no sentido de estarmos investindo desde o ano passado nesse curso de formação. Já temos 30 profissionais formados e vamos colocar mais 20. Esse é um número suficiente para atender a demanda de todo o Estado”, afirmou Mário Aufiero.

Entre os objetivos do treinamento, evitar ou minimizar as consequências maléficas que um possível atentado praticado contra uma autoridade possa acarretar tanto para a pessoa protegida quanto para a sociedade.

De acordo com o presidente da Comissão de Capacitação, Treinamento e Desenvolvimento (CCTD) da Polícia Civil, Sérgio de Menezes, que também acumula o cargo de coordenador do Núcleo de Proteção de Autoridades (NPA) da instituição, o curso terá duração de 100 horas com aulas teóricas e práticas. “Ao final do processo, os alunos terão uma atividade simulada, onde irão exercitar, durante 48h ininterruptas, tudo aquilo que aprenderam nas aulas”, explicou.

O objetivo do curso é compartilhar o conhecimento necessário para o desempenho de funções no serviço de proteção de autoridades, capacitando o profissional selecionado para atuar nesta missão e criar condições para o desenvolvimento de condutas preventivas, e de pronta resposta, rápida e efetiva, contra fatores não desejados, proporcionando aos integrantes a capacidade de planejar, executar, controlar e avaliar as ações.

“Dentre os treinamentos que serão ministrados no curso haverá escolta a pé e motorizada, defesa pessoal, primeiros socorros, aulas de etiqueta, planejamento, natação utilitária, além de oficinas de tiro, onde o Policial Civil aprenderá a desenvolver técnicas de tiro voltadas à proteção de autoridades”, acrescentou Sérgio de Menezes.