Polícia Civil prende 50 pessoas por crime de homicídio em três meses - Fato Amazônico

Polícia Civil prende 50 pessoas por crime de homicídio em três meses

De janeiro a março deste ano, a Polícia Civil do Amazonas registrou a prisão de 50 pessoas suspeitas de homicídio. As prisões foram feitas pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), que nos primeiros três meses deste ano conseguiu agilizar a conclusão dos inquéritos. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM).

De acordo com o delegado titular da DEHS, Ivo Martins, cerca de 80% dos inquéritos abertos neste ano para investigar os crimes de assassinatos já foram relatados à Justiça. Os demais continuam sendo investigados.

Ele destacou que a maioria dos casos está relacionada com a disputa do tráfico de drogas, seguido por brigas casuais e homicídios passionais. “Temos casos de pessoas presas por homicídio que são suspeitas de terem praticado outros crimes, matadores profissionais que estavam soltos, e que conseguimos tirar das ruas após investigação”, disse.

O delegado destacou o empenho da equipe para chegar aos esclarecimentos dos crimes. “Existe todo um trabalho de acompanhamento dos casos, que começa desde que o crime acontece”, afirmou.

Dentre os presos até março, Ivo Martins destaca as quatro pessoas apontadas como autores de uma chacina ocorrida no fim de fevereiro deste ano, na zona Norte da capital. A ação ocorreu em cumprimento a mandado de prisão expedido pelo juiz Mauro Antony, da 3ª Vara do Tribunal do Júri, no dia 11 de março deste ano.

Para o secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sergio Fontes, o aumento da produtividade nas delegacias especializadas, como a de homicídios, é fundamental no combate aos crimes em Manaus, principalmente, o tráfico de drogas e homicídios. “O combate ao tráfico de drogas envolve uma série de ações. Uma delas é a investigação das mortes e prisão desses homicidas. Aliado a isso, temos o trabalho de investigação que está gerando as grandes apreensões de droga no Estado”, disse o secretário.

Sergio Fontes afirmou ainda o trabalho do Departamento de Polícia Técnico Científico, que tem cooperado no embasamento dos inquéritos. “Temos várias frentes de combate aos crimes, que juntos, estão produzindo resultados”, disse.

O delegado-geral da Polícia Civil, Orlando Amaral, destacou a reformulação que foi realizada na instituição neste ano e empenho das equipes. “São servidores que estão demonstrando engajamento na atividade policial. O resultado desse trabalho, a própria mídia tem destacado diariamente, como as apreensões de droga, desarticulação de quadrilhas e diminuição dos crimes contra a vida”, disse.