Ronaldo Pereira da Silva, 31, acusado da morte do marceneiro Antônio Benicio da Silva, 54 anos foi preso preventivamente por policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). O crime ocorreu no dia (15/9), em um bar, situado na comunidade Riacho Doce, bairro Cidade Nova, zona norte da capital.

De acordo com o delegado Orlando Amaral, na noite do fato, às 20h40, Ronaldo, sob efeito de bebida alcoólica, estava assistindo a um jogo de futebol nacional. No estabelecimento estavam a vítima e outros indivíduos. Na ocasião, o infrator por motivo fútil desferiu duas facadas que atingiram o peito e o abdômen da vítima, que era uma pessoa com deficiência física. Conforme o delegado, o marceneiro não resistiu aos ferimentos e foi a óbito antes de chegar ao hospital.

“Após o crime, o infrator tentou empreender fuga mas foi detido e agredido por populares no lugar, mas a Polícia Militar conseguiu deter as agressões e encaminhar Ronaldo até o Hospital e Pronto-socorro Doutor João Lúcio Pereira Machado, na Zona Leste, para receber atendimento médico. Ao longo das diligências, nossa equipe se deslocou até à unidade hospitalar afim de apurarmos a situação e, durante as investigações, foram recolhidos os depoimentos das testemunhas. Diante da comprovação da autoria pelo homicídio, foi solicitada o pedido de prisão preventiva em nome do infrator,” disse Amaral.

Prisão preventiva – O titular da DEHS informou que o mandado de prisão preventiva em nome de Ronaldo foi expedido no dia 18 de setembro deste ano, pela juíza Themis Catunda de Souza Lourenço, no Plantão Criminal. Segundo o delegado, após receber alta médica, Ronaldo foi preso pela equipe da DEHS na manhã desta terça-feira (18/09) e conduzido até à delegacia. Durante depoimento, o homem confessou a autoria do crime e não soube detalhar os fatos alegando que não se lembrava de nada.

Em consulta ao Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp) foi constatado que Ronaldo já possui passagem pela polícia por furto cometido em 2004. No prédio da DEHS, o infrator foi indiciado por homicídio qualificado. Após os procedimentos cabíveis na especializada, ele será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), situado no quilômetro oito da Rodovia Federal BR-174 e permanecerá à disposição da Justiça.