Compartilhe
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    1
    Share

O Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc), em uma ação conjunta com policiais da Secretaria-Executiva-Adjunta de Inteligência (Seai) deflagraram na tarde de segunda-feira (25/06), por volta das 16h, um operação que resultou na apreensão de, aproximadamente, 100 quilos de entorpecentes, entre cocaína, pasta-base de cocaína e maconha do tipo “skunk”, avaliados, conforme as autoridades policiais, em R$ 800 mil.

Na ação, Aldemir da Silva dos Santos, 27; Francisco de Melo Felix, 54, e Moisés Souza Assis, 27, foram presos, em flagrante, por envolvimento com o tráfico de drogas. O balanço da ação foi apresentado ontem (26/06), pelo delegado Paulo Mavignier, diretor do Denarc, e delegado Denis Pinho, coordenador de operações da Seai.

Paulo Mavignier informou que os policiais realizavam patrulhamento de rotina na tarde de segunda-feira (25/06), pelo rio Solimões, com o objetivo de coibir a entrada de drogas em Manaus, uma vez que os rios são as principais vias de acesso de drogas oriundas da área de fronteira. Por volta das 19h30, as equipes avistaram uma canoa nas proximidades do município de Iranduba, distante 27 quilômetros em linha reta da capital. “Na embarcação estavam Aldemir, Francisco e Moisés, transportando uma caixa de isopor. O trio argumentou que estava pescando no local. Durante revista aos indivíduos, encontramos 15 tabletes de drogas escondidos em uma mochila e três tabletes de substâncias ilícitas armazenados na caixa de isopor, em meio aos peixes. Depois eles confessaram que tinha mais droga escondida em um fundo falso da canoa, onde encontramos o restante dos tabletes”, explicou Mavignier.

Conduzidos à base do Denarc, nas dependências da Delegacia Geral, no bairro Chapada, zona centro-sul de Manaus, os infratores confessaram, em depoimento, que um homem, ainda não identificado, entregou os entorpecentes em Tabatinga, município distante 1.108 quilômetros em linha reta de Manaus. “Os infratores relataram que estavam viajando há, aproximadamente, uma semana, e tinham como destino a Manaus. Aldemir, Francisco e Moisés disseram que navegavam durante o dia, temendo o ataque de piratas, e à noite dormiam na canoa, à deriva. Eles informaram, ainda, que cada um iria receber R$ 5 mil pelo serviço”, declarou Mavignier.


Compartilhe
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    1
    Share