Policiais militares aceitam proposta do governo e movimento grevista termina em Manaus - Fato Amazônico

Policiais militares aceitam proposta do governo e movimento grevista termina em Manaus

Cantando o Hino Nacional, os policiais militares comemoram o atendimento das reivindicações, depois da paralisação que levou para frente da Arena Amadeu Teixeira, mais de 2 mil PMs, que cruzaram os braços desde o domingo à noite. “Não é greve é um movimento de insatisfação dos policiais militares que lutam por um melhor salário e outras metas”, afirmou um dos lideres do movimento, pedindo aos policiais que estiverem de serviço que fossem para os quartéis e fossem para as ruas.

“Quem estiver cansado, mesmo assim voltem aos quartéis. Vamos honrar a nossa palavra que demos ao governador que nos recebeu”, disse Hernane Saraiva, pedindo aos policiais que cumpram o acordo que foi feito com o governador, José Melo, que acenou positivamente para atender as reivindicações dos praças, como mudanças no estatuto da instituição, aprovação da lei da promoções, a escala de serviço de 2 x 2 e a inclusão da GTE no salário.

De acordo com a liderança, a árvore foi plantada ontem quando o movimento iniciou, e nesta segunda-feira foram colhidos os primeiros frutos. “Não estávamos em greve, era um movimento de uma categoria que estava insatisfeita”, acrescentou Hernane.