Nas últimas 48 horas, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) realizou a operação “Pronta Resposta I” em todas as regiões de Manaus para prender suspeitos de crimes violentos. Policiais civis e militares cumpriram mandados de prisão, busca e apreensão e efetuaram prisões em flagrantes por diversos crimes. Ao todo, 52 infratores foram presos e três menores de idade foram apreendidos, a maioria por envolvimento com o tráfico de drogas.

O balanço da operação foi apresentado nesta sexta-feira (15/02) durante entrevista coletiva, na Delegacia Geral da Polícia Civil, no bairro Dom Pedro, zona centro-oeste da capital. O secretário de Segurança Pública, coronel Louismar Bonates, e o delegado geral da Polícia Civil, Lázaro Ramos, detalharam a ação que envolveu os efetivos de todos os 30 Distritos Integrados de Polícia.

Das prisões efetuadas, 22 foram por tráfico de drogas e 13 por roubo. Houve prisões, ainda, por tentativa de homicídio, receptação, uso de moeda falsa, roubo e estupro. De acordo com o secretário de segurança, o foco da operação era prender os envolvidos em crimes violentos, como tráfico e homicídio.

“Nossa meta é retirar das ruas pessoas que cometeram crimes violentos, como roubos, tráfico e homicídios. Os policiais trabalharam em todas as zonas da cidade. Essa foi uma operação específica, mas é importante frisar que esse trabalho já é uma rotina e vai ser intensificado tanto na capital quanto no interior”, enfatizou o coronel Bonates.

Quinta operação – Esta é a quinta operação integrada realizada pela SSP-AM no Estado, a quarta em Manaus. Na capital, além da operação Pronta Resposta, as polícias já deflagraram as operações Laborum Meta e Pilar I e I, que juntas prenderam 49 infratores e três menores de idade. No interior, a operação deflagrada em Lábrea resultou na prisão de oito infratores e na apreensão de oito menores.

“Todos os DIPS e, inclusive, especializadas participaram dessa operação de hoje. Trabalhamos de forma cirúrgica, levantando as ocorrências com investigações e denúncias. Os nossos delegados participaram efetivamente contribuindo para o sucesso alcançado. O foco era prender esses elementos que são acusados de crimes violentos e estavam ameaçando a sociedade”, destacou o delegado geral da Polícia Civil, Lázaro Ramos.