Prefeito se reúne com comandante do CMA e vistoria funcionamento do transporte público - Fato Amazônico


Prefeito se reúne com comandante do CMA e vistoria funcionamento do transporte público

O prefeito Arthur Virgílio Neto esteve na tarde de ontem (26/05),  no Comando Militar da Amazônia para conversar com o general César Nardi, que fez cumprir, com o apoio da Policia Militar, a ordem da Justiça Federal que determinou a desobstrução de vias públicas afetadas pelo protesto de caminhoneiros. Logo depois, visitou a maior garagem de ônibus da cidade, para atestar o funcionamento do transporte coletivo após a normalização do abastecimento de combustível em Manaus.

“Estive com o comandante do CMA e discutimos muito esse cenário no Brasil e Amazonas e eu agradeci a força que ele deu, liderando o complexo de segurança que funciona nesse episódio da greve aqui em Manaus. Agradeço aos serviços dele e do Exército Brasileiro e a todas as forças de segurança do Estado”, disse o prefeito.   

Na garagem de ônibus, o prefeito acompanhou o abastecimento dos coletivos e visitou os tanques de combustíveis cheios,  com capacidade para 200 mil litros. O que garante o pleno funcionamento da frota na segunda-feira, dia 28/5, visto que aos fins de semana a frota é reduzida normalmente.

“Acompanhei a movimentação nas garagens e vi que todas estão dentro da normalidade. Na Eucatur, os tanques estão cheios e na segunda-feira a frota estará com tudo nas ruas garantindo o transporte da população”, atestou Arthur.

Na ocasião, aproveitou para conhecer o novo ônibus articulado, dos 18 que irão compor a frota em Manaus, exclusivamente para rodarem na faixa azul.

“A ideia são 18 desse mesmo porte. Ultra modernos com ar-condicionado e wi-fi. É um avanço que vamos dar e mais um passo na direção da implantação do BRT”, afirmou.

Sobre a visita à Refinaria Isaac Sabbá (Reman), na estrada Marapatá, na última sexta-feira, dia 25, o prefeito destacou que fez o seu papel como chefe do executivo e que cumpriu sua principal obrigação que é cuidar dos interesses da cidade sem se omitir ou se acovardar.

“Conversei com algumas pessoas com a cabeça no lugar e outras nem tanto. Agora quando eu tomo uma atitude, não sou de me omitir, então fui lá cumprir o meu dever. Expliquei para eles que não podemos ficar sem combustíveis, sem remédio e sem alimentação. Quem gostou, tudo bem. Quem não gostou, tudo bem também. Eu não me omito, essa é minha marca e estou muito velho para mudar. Eu estava ali para defender a cidade. Cada um defende o que quiser. Eu defendo em primeiro lugar a cidade de Manaus”, explicou o prefeito.