Prefeitura alerta: Praia da segunda etapa da Ponta Negra continua proibida para banho - Fato Amazônico




Prefeitura alerta: Praia da segunda etapa da Ponta Negra continua proibida para banho

Mesmo com as chuvas e o clima nublado, a população de Manaus aproveitou o último fim de semana para ir até o Complexo Turístico da Ponta Negra, na zona Oeste. Muitos frequentadores estão aproveitando o período de férias para conhecer a segunda etapa do local, inaugurada dia 22 de dezembro do ano passado. Com a entrega, o complexo passou a contar com quadras esportivas, skatepark, bosques e uma área maior de calçadão.

Ponto de encontro entre amigos e de lazer para famílias, assim como cartão postal para os turistas, a praia é um bem público e a Prefeitura de Manaus, por meio do Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb), responsável pela gestão do parque, trabalha para conscientizar os usuários sobre as normas de bom uso do espaço, sua conservação física e também a segurança das pessoas.

Mas ainda assim alguns banhistas insistem em invadir a parte de areia que está interditada e ainda não foi entregue, atrás dos tapumes da segunda etapa. A Guarda Municipal tem atuado para alertar os banhistas da proibição, fazendo a retirada de quem invade o espaço. A Polícia Militar também está agindo para coibir a situação.

A segunda etapa da praia perene ainda não foi entregue, uma vez que os trabalhos de monitoramento da cheia estão em andamento. Seguindo a determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto, a administração pública só irá liberar o local quando forem realizados todos os testes que indiquem que a praia não oferece nenhum risco aos banhistas.

Enquanto isso, o uso da praia e o acesso ao local não estão permitidos, estando fechado por tapumes e com placas de orientação indicando as proibições de banho e acesso.

O subsecretário da Casa Militar, major Darcelo Gomes, explicou que mesmo com os avisos de proibição, alguns usuários insistem em entrar na área. Segundo Gomes, é importante que os banhistas tenham consciência de que é mais seguro utilizar somente a parte liberada da praia.

“A praia perene para uso tem monitoramento da Guarda Municipal, patrulhamento da Polícia Militar e conta ainda com salva vidas do Corpo de Bombeiros, que atuam na areia e em embarcações na margem da orla”, explicou. Os avisos servem para garantir a segurança de quem frequenta e faz bom uso da praia.

Bom uso

Em 2013, com o Corpo Permanente de Segurança em ação na Ponta Negra, não houve nenhum registro de incidente grave, de afogamento ou falecimento nas águas do balneário, segundo dados do Corpo de Bombeiros, o que revela que a fórmula encontrada é eficiente para manter o bom uso da praia e a salvaguarda dos banhistas. Os bombeiros delimitam as áreas de banho com boias, deixando margens de segurança para a população.

Até às 17h, o balneário tem a estrutura do Corpo Permanente, definido inclusive em um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado entre a Prefeitura e o Ministério Público no início do ano, que mantém no local salva-vidas, bombeiros e equipes de atendimento à saúde, de plantão. Depois desse horário, para a própria segurança do usuário, é proibido entrar no rio. Além disso, entrar na água à noite é uma pratica arriscada, que consta nos principais manuais de segurança de praias do País. As regras estão previstas no regulamento e nas normas de uso do Complexo Turístico da Ponta Negra.

As medidas visam o bem estar coletivo, segundo o presidente do Implurb, Roberto Moita. “É preciso entender que a praia e o complexo são patrimônios públicos e precisam da conservação da população, que também pode ajudar sendo fiscal. O ordenamento de praias é comum em outros Estados, como o Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, com regras e horários definidos para funcionamento”, diz o presidente. Em razão da própria condição de baixa visibilidade no rio Negro, os próprios bombeiros não recomendam a entrada nas suas águas escuras à noite.

Proibição

As barreiras de contenção que existem nos acessos à praia da Ponta Negra visam coibir a entrada de animais na areia – mesmos os de estimação – de comida, para evitar contaminação da praia; de garrafas ou objetos de vidro, facas, entre outros materiais cortantes; além do uso de pipas e o banho após às 17h.

Não é permitida a venda de bebidas por ambulantes na praia, conforme determina a legislação. As bebidas alcoólicas só poderão ser comercializadas em pontos fixos. Em caso de dúvida ou em qualquer situação de risco, é recomendado que se procure os colaboradores do Implurb, guardas municipais, PMs ou salva-vidas.