A partir deste ano, todas as informações relacionadas aos cenários econômicos que orientam a tomada de decisões sobre os investimentos da previdência de Manaus serão registradas e arquivadas pela Prefeitura de Manaus. O processo teve início nesta quinta-feira, (10/01), na 1ª Reunião Ordinária do Comitê de Investimentos (Cominv) da autarquia municipal.

“A análise periódica da carteira é uma constante na rotina do Cominv, sempre registrada em ata”, lembra o diretor-presidente da Manaus Previdência, Silvino Vieira. “Mas, ao registrar as evidências das informações que levaram o comitê a tomar esta ou aquela decisão sobre os investimentos amplia a transparência das tomadas de decisões”, diz, acrescentando que a ação também atende a uma das exigências do Pró-Gestão.

O Pró-Gestão é a sigla de Programa de Certificação Institucional e Modernização da Gestão dos Regimes Próprios de Previdência Social da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, do Governo Federal. É uma certificação institucional de Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), visando a modernização na gestão.

A Manaus Previdência aderiu ao programa com a meta de obter a inserção no Nível III, patamar que nenhum RPPS do País atingiu ainda. “Conquistar esse nível significará a adoção de melhores práticas de gestão previdenciária, proporcionado um controle ainda maior dos ativos e passivos da instituição, ampliando a transparência no relacionamento com os segurados e a sociedade em geral”, diz Vieira.

CENÁRIO

Também na reunião desta quinta, o Cominv decidiu manter a atual composição do portfólio de investimentos da autarquia para a segunda quinzena de janeiro de 2019.

O presidente do comitê e superintendente de Investimentos, Flávio Castro, diz que no segundo semestre de 2018 o comitê já havia aprovado diversas modificações na carteira. “Esses movimentos estratégicos (realocações) são necessários, pois precisamos adequar a carteira às realidades do mercado financeiro, o qual é constantemente afetado por decisões políticas e econômicas”, explicou.

Castro ressaltou que a carteira de investimentos da Manaus Previdência caracteriza-se por uma diversificação necessária à otimização da relação Risco versus Retorno.

“Temos cerca de 50 ativos distribuídos em diversas classes, como fundos DI, Fundos de Ações, Títulos do Tesouro etc. Hoje, cerca de 72% da carteira está alocado em ativos de renda fixa, o restante esta distribuído em ativos de renda variável”, detalha.

Antes da discussão sobre o portfólio da carteira, o Cominv recebeu uma equipe da Asset BTG Pactual, que apresentou uma análise do cenário econômico para 2019, assim como produtos daquela instituição financeira como opção de investimentos para o exercício.

Além de Castro e Vieira, a primeira reunião do ano do Cominv contou com as presenças dos membros Caio Andrade, Carolinne Santos, Jânio Guimarães e Edson Brasil. O próximo encontro do comitê está agendado para o dia 24 deste mês.