Prefeitura de Manaus forma a décima turma de capacitação para cobradores e motoristas - Fato Amazônico


Prefeitura de Manaus forma a décima turma de capacitação para cobradores e motoristas

Sensibilização. Essa é a palavra que define o foco do curso de Capacitação para Cobradores e Motoristas, oferecido pela Prefeitura de Manaus, por meio da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), que chegou a sua décima turma em 2018, nesta semana, alcançando um total de 439 pessoas, entre cobradores e motoristas.

No curso, que tem duração de dois dias, os participantes recebem noções de como ter mais qualidade de vida, como atender o usuário com cortesia e empatia, especialmente as pessoas com deficiência e mobilidade reduzida e os idosos, na primeira fase. Na segunda etapa, a turma recebe aulas práticas, vivenciando todas as situações pelas quais os usuários passam no cotidiano, oportunidade em que tanto motoristas quanto cobradores passam pela experiência de um deficiente visual dentro do coletivo ou um deficiente físico, no embarque e desembarque – com o veículo conduzido em velocidade.

Para o superintendente da SMTU, Franclides Ribeiro, este é um compromisso assumido pelo prefeito Arthur Virgílio Neto, de modo a oferecer um transporte coletivo cada vez melhor. “Tudo começa pelo atendimento. Motoristas e cobradores contribuem para a qualidade dos serviços e os usuários também precisam valorizar o trabalho deles, assim como os motoristas tem o dever de tratar bem os usuários, especialmente os idosos e as pessoas com deficiência”, ressalta.

Sensibilização

O projeto teve início no ano 2000, por meio da Divisão de Atendimento Social (DVAS) e conta com o apoio do Conselhos Municipais do Idoso e da Pessoa com Deficiência, da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), da Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas) e ainda com a participação voluntária de outras secretarias e voluntários com deficiência que prestam seus depoimentos.

Conforme a chefe da DVAS, Arlene Menezes, a situação já foi bem mais complexa. “Esse trabalho que realizamos junto aos motoristas e cobradores é um trabalho de formiguinha. A mudança, a conscientização de cada um acontece de forma gradativa, não de uma vez só. Por isso que devemos dar continuidade ao projeto sempre, com o apoio das empresas que liberam seus funcionários para participar, compreendendo a importância do curso para o bom funcionamento do sistema”, afirma.

Menezes ainda completa o motivo pelo qual a interação entre as partes deve ser melhorada. “Motoristas e cobradores fazem parte do sistema e devem desenvolver uma relação com os usuários mais saudável, mais efetiva. Todos os que já passaram por esse processo, eu tenho certeza que não tiveram mais qualquer tipo de problema com o usuário, se um dia chegaram a ter. Trabalhamos com a empatia. Fazemos com que se coloquem no lugar do outro”, pontua.

Ela estima que mais de 2 mil operadores do sistema já passaram por esse treinamento, desde a implantação do curso.

Aperfeiçoamento

O motorista Jorge Siqueira, de 44 anos, com 15 anos de experiência no transporte público, afirma que o curso contribui bastante para o aperfeiçoamento da classe. “O curso acrescentou muitas informações importantes sobre os idosos e pessoas com deficiência. Abriu mais a nossa mente para muitas questões. Mas, acredito que os próprios idosos e pessoas com deficiência precisam também ter mais acesso a informações sobre seus direitos”, avalia.

Para Márcia Santos, presidente do Conselho Municipal do Idoso, que participa como palestrante do curso, a mensagem repassada aos participantes gera conhecimento. “Procuro, eu mesma, passar a mensagem para dar mais força e credibilidade ao assunto e percebo nos alunos uma recepção positiva, de assumir a responsabilidade junto aos idosos, tanto das nossas casas quanto os da sociedade em geral”, afirma.