Com o início do período chuvoso, o registro do surgimento de focos de caramujo africano levou a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), a realizar a primeira formação de brigada de combate ao molusco deste ano. O trabalho aconteceu no sábado, 12/1, no Condomínio Residencial Petrópolis, no bairro Petrópolis, zona Sul, e contou, no total, com a formação de 20 brigadistas, entre moradores do residencial e de áreas vizinhas.

Durante a capacitação, os participantes receberam informações sobre as características da espécie e como efetuar a eliminação dos focos de modo seguro. A partir daí, podem atuar como multiplicadores da mensagem no conjunto.

A formação de brigadas foi a estratégia de mobilização criada pela Divisão de Educação Ambiental da Semmas para enfrentar a disseminação da praga do caramujo africano. A medida atende à Instrução Normativa 73 do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), segundo a qual os órgãos federais, estaduais e municipais ficam autorizados a desenvolver medidas de controle, prevenção e extermínio do caramujo africano.

De acordo com o chefe da Divisão de Educação Ambiental da Semmas, Raimundo Araújo, as brigadas contribuem muito para conscientização dos moradores das comunidades sobre questões ambientais importantes, como o descarte correto de lixo, diretamente relacionado à proliferação da praga. “O caramujo africano é uma espécie exótica que se disseminou pelo País e não tem predador natural. Locais com acúmulo de entulhos e restos de alimentos são os ambientes preferenciais da espécie”, afirmou. Durante a formação, os brigadistas aprendem também a diferenciar as espécies de caramujos nativos e do africano.

Moradora do condomínio, a aposentada Sônia Memória parabenizou a Prefeitura de Manaus pela iniciativa. “Essa é uma situação nova aqui no condomínio e não sabíamos como agir. Por isso, decidimos solicitar a visita dos técnicos da Semmas para recebermos as orientações corretas”, afirmou. Segundo ela, além de aprender a lidar com o caramujo africano, os moradores se mobilizaram também para implantar na área uma horta comunitária e arborização.

Para solicitar a formação de brigadas de combate ao caramujo africano, o interessado deve entrar em contato con a Divisão de Educação Ambiental da Semmas pelo 3236-8587.