Prefeitura de Manaus vai implantar Centro Integrado de Controle de Operações Conjuntas da Saúde - Fato Amazônico




Prefeitura de Manaus vai implantar Centro Integrado de Controle de Operações Conjuntas da Saúde

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), vai implantar um Centro Integrado de Controle de Operações Conjuntas da Saúde (CIOCS) durante a Copa do Mundo de 2014. O modelo do CIOCS foi apresentado por representante do Ministério da Saúde, na manhã da última sexta-feira, 08, para os gestores da Semsa e da Secretaria de Estado de Saúde (Susam).

O CIOCS é uma estratégia que vem sendo utilizada pelo Ministério da Saúde e que vai otimizar o compartilhamento de informações de vigilância e atenção à saúde, monitorando e oferecendo resposta rápida na resolução das demandas na área da saúde durante grandes eventos.

A Prefeitura de Manaus pretende adaptar o modelo do CIOCS para atender as necessidades específicas do município de Manaus. “A intenção é montar uma estrutura local que possa beneficiar a população de Manaus e não somente durante a Copa do Mundo de 2014”, disse a subsecretária de Gestão da Saúde da Semsa, Lubélia Sá Freire.

Segundo a subsecretária, já a partir de janeiro de 2014 a Semsa quer implantar o CIOCS para atender as demandas de saúde provocadas pela cheia dos rios, na cidade de Manaus.

Estrutura – A proposta de operacionalização do CIOCS foi apresentada pela enfermeira Maria Beatriz Ruy, representante do Ministério da Saúde. A estrutura do Centro de Operações tem a capacidade de integrar as informações de assistência em saúde e vigilância epidemiológica, ambiental e sanitária, durante um evento específico, em caráter extraordinário e temporário, e visa observar, planejar, decidir e agir de acordo com a necessidade de cada ocorrência.

O modelo do CIOCS já foi utilizado durante os jogos da Copa das Confederações e no período da Jornada Mundial da Juventude. O centro integrado pode ser estabelecido em nível local, regional e nacional, composto por um grupo de 10 a 15 profissionais que possam contribuir nas áreas de logística, vigilância e assistência em saúde, comunicação, documentação e informação, além de estabelecer parcerias com instituições como a Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar.