Assessores, técnicos e psicólogos da Prefeitura de Manaus, que atuam nos Centros Municipais de Atendimento Sociopsicopedagógico (Cemasp), da Secretaria Municipal de Educação (Semed), participaram na última quarta-feira, 27/2, da primeira palestra de Relações Interpessoais de 2019, no auditório do Bosque da Ciência, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), zona Sul de Manaus.

A palestra contou com a presença das parcerias firmadas pelo Núcleo de Parcerias Institucionais (Nupi), da Dage, como o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), Centro Universitário do Norte (Uninorte) e Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (INPA).

A secretária municipal de educação em exercício, Euzeni Trajano, afirmou que o encontro foi em consonância com o tema do ano letivo da Semed. “A ideia é trabalharmos as relações interpessoais, que é o tema dessa palestra. Trouxemos uma pessoa do Uninorte para tratar sobre mediações, conflitos e como fazer a abordagem às famílias visitadas pelo Cemasp. Isso é muito importante, porque a Semed traz hoje esse tema ‘Família e Escola: Todos responsáveis uns pelos outros’, então há a necessidade de fortalecermos cada vez mais a família para que ela possa contribuir com a educação das crianças e dos jovens”, comentou a secretária.

Os Cemasp têm como missão resgatar os alunos infrequentes, por meio de ações pedagógicas, sociais e fonoaudiológicas. Além do trabalho preventivo de combate à evasão, a equipe multidisciplinar (pedagogos, psicólogos, fonoaudiólogos, psicopedagogos e assistentes sociais), realiza atendimentos individuais e em grupos, assessorando as escolas com palestras, visitas domiciliares e orientação familiar.

A chefe da Dage, Jussara Marques, entende que atender a essas demandas, privilegia o trabalho realizado pelos profissionais da Semed.

“A nossa preocupação é trazer o bem-estar psicossocial para as servidoras do Cemasp, haja vista o trabalho delas que é sempre encontrar a vulnerabilidade lá na ponta, as angústias, momentos de dificuldade que são encontrados nos lares dos nossos estudantes. Essa é uma iniciativa positiva porque vemos que com esse universo de parceiros, podemos levar diversas coisas às escolas, que são onde as coisas acontecem”, pontuou.

Um dos parceiros é o Tribunal de Justiça, que em 2018 desenvolveu o projeto Pai Legal, e esse ano pretende apresentar outros projetos para aumentar a interação com a Semed.

“O poder judiciário precisa se voltar para toda essa rede institucional que está aí à disposição da comunidade, para que isso provoque uma diminuição na pressão no sistema de justiça. Há um nível de conflito muito intenso e que decorre de vários fatores que obviamente exigem uma série de providências que estão ligadas à várias instituições”, disse o juiz Gildo Alves, coordenador do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec).

“Imagina o sistema de educação eficiente e atingindo o maior número de pessoas do ponto de vista do conflito social, e obviamente isso diminui a quantidade de conflitos que podem gerar um processo judicial”, completou o juiz.

Esse foi o primeiro de uma série de encontros que pretendem levar aos servidores, todo mês, palestras e oficinas.