Para os próximos dois anos, o Presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, deputado Josué Neto (PSD), pretende implantar políticas de inovação dentro do Parlamento Estadual. Começando com a iniciativa inédita de credenciar a ‘Escola do Legislativo Senador José Lindoso’ junto ao Ministério de Educação e Cultura (MEC). A ideia é oferecer novos cursos de pós-graduação. “Vamos trabalhar para conseguir esse credenciamento e assim propiciar aos servidores da Casa qualidade, não apenas nas atividades políticas da Assembleia, mas pensando no futuro desses servidores que estarão preparados para o mercado de trabalho”, defendeu o presidente.

Dentro dessa política de inovação firmada pelo presidente da Assembleia, o diretor da Escola do Legislativo, João Paulo Jacob, defende que a habilitação com relação aos cursos de pós-graduação, primeiro presencial no Conselho Estadual de Educação (CEE), e, depois em relação ao ensino à distância – aproveitando o Centro de Mídias -, vai dar segurança ao aluno e redução de custos ao Poder Legislativo. “Com a certificação, o aluno vai ter o diploma reconhecido pelo MEC, aceito em qualquer instituição e área de trabalho. Sem falar que a qualificação vai implicar na diminuição de gastos do Legislativo”, disse.

De acordo com Paulo Jacob, no primeiro momento serão oferecidos 5 cursos: Gestão Pública, Poder Legislativo e Políticas Públicas, Ciências Políticas, Direito Público e Orçamento Financeiro, destinados para servidores efetivos e comissionados da Aleam e servidores de outros órgãos públicos. A previsão de efetivação do credenciamento junto ao MEC, segundo o diretor, deve ser até o final de 2019.

Atualmente a Escola promove curso de pós-graduação em Direito Público. A parceria é com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), com aulas ministradas, aos sábados, nas salas de treinamento da Escola do Legislativo.

Biblioteca Virtual e parceria com a UFAM

Seguindo os passos da digitalização na Assembleia Legislativa, o diretor João Paulo, acredita que o mesmo deve ser feito com a Biblioteca da escola. “A intenção é aumentar o acervo da Biblioteca e, até mesmo, torná-la digital como vem sendo feito com os próprios documentos internos dos departamentos da Aleam. Além disso, também queremos dotar a estrutura ao acervo com revistas científicas, periódicos e de se criar informativos próprios com nomes ligados à instituição como ‘Diálogos do Legislativo’, dentre outros”, explicou.

Paulo Jacob destacou ainda uma parceria com a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), por meio da Faculdade de Direito para o início de um termo de cooperação técnica visando ensino, extensão e pós-graduação, e ensino, pesquisa e extensão. “Teremos a possibilidade de ter pós-graduação certificada pela Ufam, com vários professores da Instituição Federal. Uma pós-multidisciplinar que vai tratar de políticas públicas, direito público, Poder Legislativo, direito constitucional e administrativo”, completou. No primeiro momento, vão ser oferecidas 60 vagas para servidores da Aleam. O início das aulas está previsto para agosto.