Foto: Valter Campanato

O novo presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, negou haverá aumento dos juros no financiamento para compra de imóveis do Minha Casa Minha Vida para a classe média. Guimarães voltou atrás em afirmação de ontem (segunda, 7), feita após ser empossado o novo dirigente do banco público.

Segundo a agência Reuters, Guimarães, o juros de imóveis do programa são subsidiados e que as taxas para a classe média já estão em um patamar mais elevado. Ele reclamou que suas palavras foram distorcidas.

Ontem, após a cerimônia de posse no Palácio do Planalto, o novo presidente da Caixa disse que os juros para a classe média seriam o de mercado, e que quem é classe média “tem de pagar mais”.

“Se hoje você tem zero de empréstimo para pessoas de classe média, não vão ser os juros do Minha Casa Minha Vida. Quem é classe média tem de pagar mais. Ou vai buscar no Santander, Bradesco, Itaú. E vai ser um juros de mercado. A Caixa vai respeitar os juros de mercado”, disse ele em entrevista coletiva na ocasião.

Hoje, ele disse que comparar o MCMV com crédito imobiliário “não é correto matematicamente”.

“O menor juros que existe no Brasil para crédito imobiliário é o do Minha Casa Minha Vida; você querer comparar Minha Casa Minha Vida com crédito imobiliário para classe média não é correto matematicamente. É óbvio que juros para classe média é maior”, afirmou. (Congresso em foco)