Procuradores vão processar Ministra Ideli Salvatti por improbidade administrativa - Fato Amazônico




Procuradores vão processar Ministra Ideli Salvatti por improbidade administrativa

Correio Braziliense – Ministra deverá ressarcir os cofres públicos em pelo menos R$ 35 mil por utilizar helicóptero do Samu em solenidades oficiais. Ação será apresentada pelo Ministério Público Federal.

O Ministério Público Federal em Joinville (SC) decidiu processar por improbidade administrativa, após conclusão de inquérito civil público, a ministra de Relações Institucionais da Presidência da República, Ideli Salvatti. A minuta do processo já está sendo preparada e a ação será ajuizada até o fim do mês pelos procuradores da República Davy Lincon Rocha, Rodrigo Joaquim Lima e Mário Sérgio Barbosa. Após investigação de três meses, a conclusão oficial é de que houve irregularidades na utilização, por parte de Ideli, do único helicóptero da Polícia Rodoviária Federal (PRF) disponível em Santa Catarina, conveniado com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), em deslocamentos na sua base eleitoral. Na ação proposta, além de multa, o MPF cobrará da ministra o ressarcimento aos cofres públicos no valor inicial de R$ 35 mil, referente a seis horas e meia em que a aeronave estava voando.

O procurador da República Mário Sérgio Barbosa explicou, no entanto, que a quantia a ser ressarcida será bem maior. “Esse é apenas o valor inicial, calculado com base no tempo em que o helicóptero estava voando. Por isso, a conta é preliminar. Nós ainda vamos calcular todo o tempo em que a aeronave ficou à disposição da ministra, mesmo estando no solo”, afirmou. O cálculo inicial levou em consideração as horas de voo e a manutenção do equipamento. O MPF acelerou o procedimento para não ser acusado de atuar com objetivos eleitoreiros. Havia a preocupação de que o processo só fosse instalado na véspera da disputa de outubro.

Na época da denúncia, Ideli era pré-candidata do PT ao Senado. Após o desgaste sofrido com a divulgação do episódio, o diretório do partido em Santa Catarina sepultou as chances de a ministra concorrer a algum cargo eletivo nas próximas eleições. Na reforma ministerial que a presidente Dilma Rousseff deve concluir até março, a expectativa é de que Ideli permaneça à frente da Secretaria de Relações Institucionais. Existe também a possibilidade de a ministra ocupar a Secretaria de Direitos Humanos.

A Comissão de Ética da Presidência da República se posicionará sobre o uso do helicóptero até o fim do mês.